Como Evangelizar Adventistas?

Amados irmãos,

Graça e Paz!

"Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvação comum, tive por necessidade escrever-vos, e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos." Judas 1:3

Embora considere algumas doutrinas ensinadas pela a IASD como heterodoxas, não concordo com as atitudes de alguns irmãos apologistas que defendem o Evangelho da Graça de Deus, atacando pessoas ao invés de combaterem suas doutrinas errôneas.

Sim, existem certas doutrinas ensinados pela IASD que um verdadeiro seguidor de Jesus Cristo precisa colocar "Na Mira da Verdade" (João 17:17), no entanto isso deve ser feito sem denegrir ou ofender as pessoas que professam a fé Adventista.

Devemos motiva-los a fazerem seu próprio estudo diligente das Escrituras, para que possam sanar suas dúvidas e tirar suas próprias conclusões a respeito da enorme diferença entre o Adventismo e o simples Evangelho da Nova Aliança da Graça de Deus em Cristo Jesus.

Raymond Cottrell: Daniel 8:14 e o Juízo Investigativo

O Dr. Raymond F. Cottrell, Adventista do Sétimo Dia e ex-redator associado do SDA Bible Commentary (Comentário Bíblico dos ASD) escreve:

"Fingirmos que a interpretação dos ASD leva em conta o contexto de Daniel 8:14 significaria então identificar o chifre pequeno como Cristo." 

O Dr. Cottrell admite honestamente:

"Não podemos ter ao mesmo tempo o contexto e a interpretação adventista." 

Portanto, com respeito ao "Juízo Investigativo", a Igreja Adventista teve de fazer uma escolha — aceitar a doutrina ou o contexto de Daniel 8:14. Infelizmente, ela aceitou a primeira e abandonou o segundo. Não é de admirar, diz o Dr. Cottrell, que estudantes informados da Bíblia culpem os Adventistas por "atribuírem às Escrituras algo que não pode "ser entendido das Escrituras"!

Em 1967, o Dr. Cottrell preparou sobre Daniel uma lição para a escola sabatina, enviada às igrejas dos ASD no mundo todo. Ela ensinava que Daniel 8:14 relaciona-se com o seu contexto e que a 'purificação' não se refere aos crentes. É significativo que a lição omite qualquer menção dum "Juízo Investigativo".

Raymond Cottrell e a Doutrina do Santuário

Quem foi e o que disse o respeitado teólogo Adventista Raymond Cottrell sobre a Doutrina do Santuário e a data de 22 de outubro de 1844.


Erudito, mestre, escritor, editor, historiador, missionário, linguista, Raymond Cottrell (1911-2003) é amplamente reconhecido como um dos maiores teólogos ASD de todos os tempos.

Semelhante a seus ancestrais Albigenses na França, que se arriscaram a ser condenados a morte por suas convicções religiosas em 1179, ele foi um homem de princípios e defensor da liberdade de consciência. Descendente de famílias adventistas da geração de 1851, este homem dedicado a suas crenças, entregou-se em corpo e alma a escrever e editar artigos para a organização.

Raymond Cottrell

Quem foi Raymond Forrest Cottrell?

O que esse respeitado teólogo Adventista disse sobre a Doutrina do Santuário (Juízo Pré-Advento)?

O que ele descobriu após 17 anos de um profundo estudo sobre o livro de Daniel?

Erudito, mestre, escritor, editor, historiador, missionário, linguista, Raymond Cottrell (1911-2003) é amplamente reconhecido como um dos maiores teólogos ASD de todos os tempos.

Após anos servindo fielmente a IASD, aposentou-se em 1977, mas manteve-se muito ativo em discussões teológicas. O Dr. Raymond entre outras coisas foi:

  • Ex-redator associado do SDA Bible Commentary (Comentário Bíblico Adventista). Escreveu mais de 2000 páginas do Comentário Bíblico Adventista.
  • Ex-editor associado da Adventist Review (Revista Oficial da Igreja Adventista). 
  • Ex-editor de consultoria da revista Spectrum
  • Autor do livro Adventista Crise e Vitória. Um resumo dos acontecimentos futuros preditos na Bíblia de acordo com a escatologia Adventista e os Escritos do Espírito de profecia, Ellen G. White.
  • Um dos membros da "Comissão de Problemas no Livro de Daniel" de 1980, designado pela Associação Geral.
  • Para conhecer mais obras do Dr. Raymond, clique aqui (Inglês).

Estudos de Raymond F. Cottrell

Depois de 17 anos de um estudo profundo sobre o livro de Daniel, Cottrell encontrou inúmeras dificuldades em relação a Doutrina do Santuário, a começar pela interpretação tradicional adventista de Daniel 8: 14.

O Grande Conflito Adventista

Adventismo Evangélico X Adventismo Tradicional.
Os ASD devem continuar sendo considerados como evangélicos?
DA CONTROVÉRSIA À CRISE: UMA AVALIAÇÃO ATUALIZADA DO ADVENTISMO DO SÉTIMO DIA

Por Kenneth R. Samples

Original no Christian Research Journal, Verão de 1988, 
Vol. 11, Número 1, página 9 
Copyright© 1994 Christian Research Institute

Desde seus primórdios, em meados do século dezenove, o Adventismo do Sétimo Dia (ASD) continuou sendo extremamente polêmico entre os cristãos evangélicos (definindo-se o evangelismo como um movimento no moderno cristianismo protestante que enfatiza a conformidade com a teologia ortodoxa, o evangelismo e, particularmente, o novo nascimento). De fato, tinha algo de consenso entre os eruditos evangélicos no sentido de que o ASD era pouco mais que um culto não cristão até a década de 1950, quando Donald Grey Barnhouse e Walter Martin iniciaram uma abarcante avaliação da teologia adventista. Após milhares de horas de investigação e extensas reuniões com oficiais adventistas, Barnhouse  e Martin chegaram à conclusão de que o ASD não era uma seita anti-cristã, senão muito mais uma denominação cristã algo heterodoxa (isto é, que se apartava da doutrina aceita).

Walter Martin
Gradualmente, o clima da opinião evangélica começou a mudar a favor da posição de Barnhouse e Martin, ainda que houve sempre muitas opiniões dissidentes. Ao começar a década de 1960, no entanto, o ASD desfrutava de uma franqueza sem precedentes com o protestantismo evangélico. Ironicamente, esta franqueza também fez surgir alguns pontos em disputa muito difíceis, pois certos ensinos fundamentais do ASD tradicional foram postas em tela de julgamento dentro da denominação.

Em meados da década de 1970, tinham surgido no ASD duas tendências claramente diferenciadas: O Adventismo Tradicional, que defendia muitas das posições adventistas de dantes de 1950, e o Adventismo Evangélico, que enfatizava o modo em que a Reforma entendia a justificação pela fé. Esta controvérsia cedo deu lugar a uma verdadeira crise interna que fragmentou severamente à denominação. Em princípios da década de 1980, uma severa disciplina denominacional contra certos dirigentes adventistas evangélicos deixou decepcionados a muitos adventistas.

Estes acontecimentos levaram certo número de evangélicos a se perguntar se os ASD deveriam continuar sendo considerados como evangélicos. O propósito deste artigo é resolver diretamente esta pergunta enquanto examinamos os controvertidos diálogos evangélicos/ASD da década de 1950, bem como seguir o rastro dos pontos doutrinários em disputa que têm contribuído para a crise de identidade do adventismo.

São Protestantes os Adventistas?

"Herdeiros da Reforma"? Como  Martin Lutero, Calvino e os outros reformadores classificariam a Igreja Adventista do Sétimo Dia? Como conciliariam a doutrina cristã da justificação "somente pela Fé" com a doutrina adventista do Juízo Investigativo que adiciona a justificação pelas obras?

Como aceitariam coexistir  a doutrina cristã do "somente a Escritura" com os escritos de Ellen G. White, os quais adventistas consideram uma fonte inspirada, autorizada e de contínua verdade e instrução? 

A Igreja Adventista do Sétimo Dia acredita que os vários grupos de protestantes serviram como precursores da verdade, divinamente instituídos para restaurar ponto por ponto o Evangelho da salvação, até chegar o tempo em que toda a verdade seria restaurada. Verdade presente, a qual encontra-se hoje somente em sua organização.

Será que Adventistas realmente prosseguiram com a Reforma Protestante ou ainda precisam urgentemente serem reformados? O artigo abaixo dará um breve parecer sobre essas importantes questões.

São Protestantes os Adventistas?

Reflexões Sobre o Movimento de 1844


Algumas Sérias Reflexões Sobre o Movimento Profético de 1844

Fatos sobre o Milerismo - 22 de outubro de 1844 - O Grande Desapontamento 

Histórico do Movimento de 1844

Tudo começou com um fazendeiro chamado Guilherme Miller. Enquanto estudava sua Bíblia da versão King James, Miller passou a crer que poderia calcular o tempo do retorno de Cristo com base na profecia bíblica. Seus cálculos levaram-no a crer que Cristo retornaria em 1843. Logo começou a compartilhar suas descobertas com outros. Incentivado por alguns, Miller começou a pregar suas teorias nos anos da década de 1830's. Em 1840, Ellen Harmon, com a idade de 13 anos, ouviu sua pregação e tornou-se uma crente no breve retorno de Cristo em 1843. Mais tarde ela escreveu:

Breve Introdução ao Adventismo do Sétimo Dia

Será que a Igreja Adventista do Sétimo Dia é como muita gente pensa, uma denominação igual às outras, tendo como única diferença a guarda do Sábado?

Muitos cristãos, na melhor das hipóteses, vagamente estão conscientes de que o Adventismo é de alguma forma, diferente.

Este blog desafia o leitor a perguntar e responder para si mesmo duas questões centrais: As diferenças são reais? E se assim for, são importantes?

Nosso compromisso além de ajudar Adventistas, é alertar o povo de Deus sobre esse movimento que afirma e promove muitos e graves erros como a inspiração dos escritos de Ellen G. White (comprometendo o Sola Scriptura), a doutrina do Juízo Investigativo (comprometendo a Justificação pela Fé), e a doutrina de que aqueles que não guardam o Sábado (para a IASD o Selo de Deus), serão marcados pelo anticristo por adorarem a Deus no Domingo (para a IASD a Marca da Besta). Desviando assim sutilmente nosso olhar de Cristo e sua obra consumada na cruz, para a guarda da Lei (Antigo Pacto) e nossas próprias obras (comprometendo a Graça).

Apresentaremos muitas evidências bíblicas de que a Igreja Adventista do Sétimo Dia vem anunciando, desde sua origem conturbada, um "outro evangelho", muito semelhante ao registrado na epístola aos Gálatas.

"Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para outro evangelho; Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema." Gálatas 1:6,9 

Ao expormos seus erros doutrinários temos grande esperança de que o Espírito de Cristo liberte da escravidão espiritual incontáveis Adventistas que precisam ouvir o Evangelho proclamado como Deus planejou. Vem Senhor Jesus!

A VERDADE SOBRE O ADVENTISMO

Muitas pessoas tem dificuldades em compreender os Adventistas do Sétimo Dia. Isso ocorre porque a partir da década de 1950 eles começaram a buscar a aceitação das igrejas evangélicas, Cristãos nascidos de novo. Começaram um diálogo com Walter Martin (apologista cristão que fundou o Christian Research Institute, no Brasil ICP) por insistência de Donald Grey Barnhouse.

O que se seguiu foi uma espetacular operação de relações públicas, iniciando um encobrimento das verdadeiras doutrinas do Adventismo. Adventistas querem desesperadamente ser aceitos como evangélicos para que possam fazer seu proselitismo (converter Cristãos). Esse blog ajudará você a conhecer muitas coisas que andam escondendo de você.

Os Dez Mandamentos

Estudos sobre a IASD e os Dez Mandamentos. 

Sim, somos salvos pela graça e não por guardar a lei de Deus. Se somos salvos pela graça, para que serve a Lei?

A Lei de Deus foi abolida? Podemos então matar, mentir e roubar? Evangélicos só guardam Nove dos Dez Mandamentos? Porque eles não guardam o quarto mandamento da Lei de Deus? Os mandamentos de Apocalipse 12:17 e Apocalipse 14:12 se referem aos Dez Mandamentos?

Quem são "os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo"? Isso significa: Mandamentos + Graça = Salvação? Anulamos, a Lei pela fé?

Abaixo você encontrará vários artigos e estudos sobre essas e outras importantes questões.


Nove dos Dez. Escolhendo os Mandamentos: O Sábado do Sétimo Dia, a Lei Mosaica, e a Inconsistência Evangélica. Por Scott Klusendorf

Adventistas admitem erro na interpretação da Lei Prof. Paulo Cristiano. Presbítero da Igreja Evangélica Assembléia de Deus, professor de religiões, escritor e vice-presidente do CACP - Centro Apologético Cristão de Pesquisas.

Abaixo mais artigos....

Do que a Bíblia chama os 10 mandamentos gravados em placas de pedra pelo dedo de Deus?

Para facilitar, digite a palavra "dez mandamentos", no buscador desta bíblia on-line, talvez o irmão se surpreenda com o resultado.

E então irmão, o que a Bíblia disse?

"Moisés ficou ali com o Senhor quarenta dias e quarenta noites, sem comer pão e sem beber água. E escreveu nas tábuas as palavras da aliança: os Dez Mandamentos." Êxodo 34:28

"Ele lhes anunciou a sua aliança, os Dez Mandamentos. E escreveu-os sobre duas tábuas de pedra e ordenou que os cumprissem." Deuteronômio 4:13

E então amado irmão, do que a Bíblia chama os Dez Mandamentos gravado em tabuas de pedra?

Visto que os Dez Mandamentos e a Antiga Aliança são indissociáveis, a Bíblia pode realmente fazer as seguintes declarações: os Dez Mandamentos são a Antiga Aliança, cujo mediador foi Moisés e não Cristo. Agora você já sabe porque se chamavam "tabuas da aliança, arca da aliança, etc.

A IASD E O DECÁLOGO

Nem um dos termos "lei cerimonial" ou "lei moral", são encontrados nas Escrituras. Embora a questão não esteja no termo em si, mas no ensino. Nem Cristo, nem os Apóstolos, ou os judeus nunca ensinaram isso. A Torá (Lei) é uma só Lei.

"A chamada "lei moral" existe independente da existência do pacto mosaico dos 10 mandamentos." 

Equivocadamente, Adventistas dividem a Antiga Aliança em Lei Moral e Cerimonial. Lei de Deus e Lei de Moisés. Essa interpretação tem por objetivo amparar de alguma forma a doutrina sabatista. É um pressuposto necessário, para sustentar o ensino Adventista de que a observância do sábado judaico é ainda obrigatória para os cristãos.

A Bíblia ensina que o regime da Lei (Antiga Aliança, Lei de Moisés) chegou ao fim com Cristo (inclui-se o sinal da aliança mosaica: o Sábado). Cristãos não estão debaixo da Lei Mosaica (contundo não estão sem Lei para com Deus), mas debaixo de uma Nova Aliança, com novos sinais.

Você Sabia? O Sinal da Antiga Aliança era a observância do Sábado. Lembra-te do Sábado. O sinal da Nova Aliança é a Ceia do Senhor/ Ceia Dominical. Lembra-te de Cristo.
Na Antiga Aliança o Sinal de entrada era a circuncisão, e o Sinal repetitivo que mostrava que a pessoa estava debaixo da antiga aliança era o Sábado. Na Nova Aliança o sinal de entrada é o Batismo, e o Sinal repetitivo que mostra que a pessoa esta debaixo da nova aliança é a Comunhão/Ceia do Senhor.
Para Refletir: Não guardar o sinal de uma aliança que não foi feita comigo é pecado? Por exemplo, a Ceia do Senhor é celebrada por um acontecimento passado (a morte do Senhor), mas aponta para um evento futuro (a Sua vinda). Quando o Senhor vier não precisaremos mais celebrar a Ceia, Certo? Isso significa que porque deixaremos de guardar esse mandamento o Senhor terá deixado de ser nosso redentor? O mesmo acontece com o sinal da antiga aliança, um evento passado (descanso na criação, e libertação do Egito) apontava para um evento futuro, (Nova Criação, entramos no Descanso de Deus pela fé e fomos libertos da escravidão do pecado)? Se não guardamos o Sábado isso significa que deixaremos de acreditar que Deus é o Criador?

Dessa forma, para que a guarda do Sábado continue em vigor na Nova Aliança é necessário inventar que haja uma teoria de duas leis dadas no Sinai; uma lei moral, e outra cerimonial. Os Dez Mandamentos (Moral) e a Lei de Moisés (Cerimonial). O pioneiro Adventista Urian Smith concorda que essa é uma questão vital para sustentar a observância do Sábado.

“Então se levantaram alguns do partido religioso dos fariseus que haviam crido e disseram: "É necessário circuncidá-los e exigir deles que obedeçam à lei de Moisés".” Atos 15:5 

Judeu-Cristãos continuaram guardando toda a Lei, mas e os Cristãos Gentios, deviam guardar o sinal da Aliança Abraâmica (Circuncisão) e o sinal da Aliança Mosaica (Sábado) ambos os pactos cumpridos por Cristo?

  • Os Fariseus que creram em Cristo estão certos em ensinar aos Gentios a guardarem o sinal dessas Alianças?(Veja a resposta em Gl 4:10)
  • Os Gentios devem ser julgados por não guardarem o Sinal da Aliança Mosaica? (Veja a resposta em Cl 2:16-17)
  • Como Gentios e Judeus Cristãos cujas vidas pertencem ao Senhor devem tratar uns aos outros em relação aos dias santos? (Veja a resposta em Rm 14:5-6)

Infelizmente, essa falsa teoria da lei foi ensinada por algumas outras igrejas protestantes (mesmo que de modo diferente) o que os levou a cometer este triste erro. Portanto, o erro a respeito do sábado provem da sua equivocada compreensão da "Torá" (Lei, Antiga Aliança).

No Monte Sinai Deus deu os 613 mandamentos para o povo judeu. Os Dez Mandamentos são mandamentos gerais e abrangentes que incorporam os outros 603 mandamentos da Torá dentro deles. Nesses dez se pode encontrar a raiz de todos os outros mandamentos. Os Dez Mandamentos são suas categorias principais. O outros 603 são sub-categorias.

Por favor, examine os argumentos de forma justa, mesmo que não concorde plenamente com minha posição.

ARTIGOS SOBRE OS DEZ MANDAMENTOS

Azazel: Jesus ou Satanás? Levítico 16


JESUS OU SATANÁS? (Levítico 16)

Quem simboliza o Bode Emissário?


"Quanto está longe o oriente do ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões" Salmo 103.12 

Como Adventistas resolvem as seguintes questões tipológicas?

1. Os dois bodes eram "para expiação do pecado". (v.5)

Tipifica dupla obra de um mesmo individuo.

  • Jesus: Morte e Ressurreição: 1. Bode Morto (Morte de Cristo - Expiação); 2. Bode Vivo (Perdão completo/Remover a culpa - Ressurreição). O Sangue para satisfazer as justas exigências de Deus e a Ressurreição para justificação do Homem.
  • Satanás???

2. Os dois bodes deviam ser "da congregação dos filhos de Israel"(v.5)[1]

Tipifica nacionalidade Judaica.

  • Jesus é Judeu.
  • Satanás?

3. Os dois bodes deviam ser sem defeito.

Tipifica sem pecado.


  • Jesus é sem defeito.
  • Satanás?

Em breve mais informações...

Visto a impossibilidade de Satanás possuir qualquer uma das tipologias acima citadas, concluímos que o bode que tira o pecado não seja uma sombra de Satanás. Todas as características tipológicas citadas acima sobre a pessoa de Cristo são aplicações com embasamento bíblico.

CONCLUSÃO:

Todas as sombras tipificam a Cristo e sua obra.

Ainda com Dúvidas?

Como podemos resolver essa questão dos bodes? Talvez fazendo as perguntas certas... Vamos pensar um pouco:

Qual Bode carregou nossos pecados?

É bem conhecido em todos os círculos do cristianismo que as leis de sacrifício na lei de Moisés apontavam para Jesus. No entanto, existem duas crenças sobre o dia da expiação. Alguns acreditam que o primeiro bode representa Jesus, e o segundo representa Satanás. Outros acreditam que os dois bodes representam Jesus. Essas perguntas vão para todos aqueles que acreditam que Satanás é o bode expiatório.

A Bíblia diz em 1 Pedro 2:24:

"Levando ele mesmo EM SEU CORPO os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados." 1 Pedro 2:24

Qual bode levou os pecados do povo em seu próprio corpo? Foi o primeiro bode ou o segundo?


"E Arão porá ambas as suas mãos sobre a cabeça do bode vivo, e sobre ele confessará todas as iniqüidades dos filhos de Israel, e todas as suas transgressões, e todos os seus pecados; e os porá sobre a cabeça do bode, e enviá-lo-á ao deserto, pela mão de um homem designado para isso." Levítico 16:21

"Assim aquele bode LEVARÁ SOBRE SI todas as iniquidades deles à terra solitária; e deixará o bode no deserto." Levítico 16:22

A partir destes versos, vemos que o segundo bode, o bode expiatório, carrega os pecados das pessoas, assim como fez Jesus.

Você pode me mostrar um versículo que mostra o primeiro bode levando os pecados do povo?

Próxima pergunta:

Qual bode removeu os pecados do povo?

"Assim aquele bode levará sobre si todas as iniqüidades deles à terra solitária; e deixará o bode no deserto." Levítico 16:22

Sabemos que o próprio Jesus removeu nossos pecados de nós, e carregou nossos pecados em seu próprio corpo ... Vemos que ambos estão apresentados no segundo bode, o bode emissário, não no primeiro.

Novamente, a questão é: Onde em Levítico 16 podemos encontrar o primeiro bode levando os pecados em seu próprio corpo, ou removendo os pecados do povo para um lugar muito distante?

"Quanto está longe o oriente do ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões" Salmo 103.12

Se você não consegue encontrar a resposta, então por que você está tão prontamente disposto a descartar Jesus como sendo o bode expiatório, quando as funções do bode emissário são aqueles que Jesus cumpriu em si mesmo?

  • Qual bode carregou seus pecados?
  • Qual bode removeu seus pecados?
  • Qual pessoa na história fez as duas coisas por você?

Por último, mas não menos importante, se você ainda insiste que satanás é o bode expiatório, mostre-me versos que provam que satanás carregou seus pecados em seu próprio corpo.

E outro verso que mostra satanás removendo seu pecado por você.

Você vai acreditar no que a Bíblia diz, ou em uma doutrina que não pode ser provada através das escrituras?

Como a interpretação Adventistas está condicionada a interpretação do Espírito de Profecia (Ellen G. White) sobre Levítico 16 (Cf. O Grande Conflito), existirá uma enorme dificuldade em ver a obra completa do Senhor Jesus nessa linda tipologia.

NOSSOS PECADOS LANÇADOS SOBRE SATANÁS?

Ellen G. White disse:

“Também se viu que, enquanto a oferenda de pecado apontava a Cristo como sacrifício, e o sumo sacerdote representava a Cristo como mediador, o sacrifício representava a Satanás, o autor do pecado, sobre o que serão postos os pecados dos verdadeiros penitentes”. O Grande Conflito, p. 422 (grifo nosso).
“Satanás não somente arrostou o peso e castigo de seus próprios pecados, mas também dos pecados da hoste dos remidos, os quais foram colocados sobre ele; e também deve sofrer pela ruína de almas, por ele causadas.” (Primeiros Escritos, p. 294/95, citado no Ritual do Santuário, p. 315)(grifo nosso).
“Seus pecados são transferidos ao originador deles”. Testemunhos Para a Igreja, vol. 4, p. 137.

A Bíblia diz em Isaías 53:4,11,12:

“Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido... Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito; o meu Servo, o Justo, com o seu conhecimento, justificará a muitos, porque as iniqüidades deles levará sobre si. Por isso, eu lhe darei muitos como a sua parte, e com os poderosos repartirá ele o despojo, porquanto derramou a sua alma na morte; foi contado com os transgressores; contudo, levou sobre si o pecado de muitos e pelos transgressores intercedeu.”

Para saber mais sobre Azazel / Bode Emissário Clique Aqui.

Your Scapegoat: Satan or Jesus?

WHO IS YOUR SCAPEGOAT?


O SANTUÁRIO, O JUÍZO INVESTIGATIVO E O BODE EMISSÁRIO por Walter Martin


Notas:

[1]Os dois bodes deviam ser "da congregação dos filhos de Israel". A tipologia de descendência Judaica, é encontrado em muitas partes das Escrituras não só aqui em Levítico .. A Lei, as Profecias e as genealogias mostravam que "dos filhos de Israel (literal)", e não de outra nação, sairia o Messias. "a salvação vem dos judeus." João 4:22

"Eis lhes suscitarei um profeta do meio de seus irmãos, como tu, e porei as minhas palavras na sua boca, e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar." Deuteronômio 18:18

Há muitos outros textos que dão respaldo a esse tipo. Satanás não possui essa característica messiânica apresentada em Levítico, e muito menos pode ser representado como um bode sem defeito.


Em Cristo,
Hélio S. Júnior

A Grande Controvérsia / O Grande Conflito


Há um Grande Conflito no qual Deus e Satanás disputam a lealdade do universo pela melhor maneira de viver? Há verdade na alegação de que Deus será vindicado pelos que obedecem a sua lei à perfeição?

Em primeiro lugar, a Bíblia jamais ensina que há um grande conflito entre Deus/Cristo e Satanás como descrito por Ellen White. A Bíblia sempre ratifica que Deus é soberano, mesmo sobre o mal, e que Satanás jamais levantou demanda alguma contra Deus que “o universo” tenha levado a sério. Tal crença singelamente não aparece na Bíblia. Nos últimos três capítulos de Jó, Deus se apresenta soberano, pois Jó não pode responder às perguntas de Deus. Deus NUNCA responde ao interrogatório de Jó nem revela a razão de seu sofrimento, demonstrando que Deus em si mesmo é soberano, onisciente e onipotente sobre toda a criação.

D. M. Canright

Dudley Marvin Canright (1840-1919)
O Ex-Adventista Dudley Marvin Canright (1840-1919) foi por 22 anos um pastor renomado da Igreja Adventista do Sétimo Dia, mais tarde renunciou o Adventismo e sua Profetisa (Ellen White) se tornando um dos principais críticos das "doutrinas distintivas" da IASD.

Nenhum ex-ASD sofreu tantos ataques maldosos, deturpações e mentiras descaradas como ele por expor erros de Ellen White e do Adventismo.

Conheça um pouco da história, artigos e livros do homem que conviveu com Tiago e Ellen White e outros pioneiros Adventistas.

A Verdadeira Igreja - J. H. Smith


O que significa a palavra "igreja"?

A palavra grega significa uma "assembleia" (At 7:38; 19:32,39,41).

Deus tem mais que uma igreja? 

Não. Ela é chamada "Igreja de Deus, que Ele adquiriu para Si pelo sangue do Seu próprio Filho." (At 20:28 - Versão Bíblia de Jerusalém).

Os Dias em Romanos 14:5-6


Na sua opinião, o que Paulo quis dizer com "Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias"? Estamos preparando um estudo sobre essa passagem, porém antes gostaríamos de ouvir a opinião dos leitores (adventistas ou não) sobre Romanos 14:5-6:

Almeida Corrigida e Revisada Fiel (ACF)

"Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente. Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz e o que não faz caso do dia para o Senhor o não faz. O que come, para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e o que não come, para o Senhor não come, e dá graças a Deus." Romanos 14:5-6

Guardar dias em Gálatas 4:10


Na sua opinião, o que Paulo quis dizer com "Guardais dias, e meses, e tempos, e anos"? Estamos preparando um estudo sobre essa passagem, porém antes gostaríamos de ouvir a opinião dos leitores (adventistas ou não) sobre Gálatas 4:10:

Almeida Corrigida e Revisada Fiel (ACF)

"Mas agora, conhecendo a Deus, ou, antes, sendo conhecidos por Deus, como tornais outra vez a esses rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis servir? Guardais dias, e meses, e tempos, e anos.
Receio de vós, que não haja trabalhado em vão para convosco." Gálatas 4:9-11

A Adoração


Depois de tudo que temos visto, há um interesse particular para o homem espiritual observar a posição relativa de Deus e o pecador no fim deste memorável capítulo.

"Então, disse o Senhor a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel:... Um altar de terra me farás e sobre ele sacrificarás os teus holocaustos, e as tuas ofertas pacíficas e as tuas ovelhas, e as tuas vacas; em todo lugar onde eu fizer celebrar a memória do meu nome, VIREI ATI E TE ABENÇOAREI. E, se me fizeres um altar de pedras, não o farás de pedras lavradas; se sobre ele levantares o teu buril, profaná-lo-ás. Não subirás também por degraus ao meu altar, para que a tua nudez não seja descoberta diante deles" (versículos 22 á 26).


Os dois grandes Mandamentos


Se considerarmos a lei sob as suas duas partes importantes, vemos que ordena ao homem amar a Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todas as suas forças, e amar ao próximo como a si mesmo. Tal é o resumo da lei. Eis o que a lei exige, e nada menos.

  • Os dois grandes Mandamentos
Mas qual é o filho caído de Adão que jamais pôde responder a esta dupla exigência da lei? - Qual é o homem que pode dizer que ama Deus desta maneira? "...a inclinação da carne" (quer dizer, a inclinação que temos por natureza) "é inimizade contra Deus" (Rm 8:7). O homem aborrece a Deus e os Seus caminhos.

A Lei é Perfeita

Mas, pode perguntar-se, "a lei não é perfeita? E se é perfeita que mais pode desejar-se?- A lei é divinamente perfeita. Na verdade, a própria perfeição da lei é a razão de amaldiçoar e matar aqueles que não são perfeitos e pretendem subsistir perante ela.

A Lei de Deus e o Evangelho


Desta forma, é evidente que a lei não é nem o fundamento de vida para o pecador nem a regra de vida para o cristão. Cristo é tanto uma coisa como a outra. Ele é a nossa vida e a nossa regra de vida. A lei só pode amaldiçoar e matar. Cristo é a nossa vida e justiça.

  • A Lei de Deus e o Evangelho
Ele fez-Se maldição por nós sendo pregado no madeiro. O Senhor desceu ao lugar onde estava o pecador— ao lugar da morte e do juízo —, e, havendo, pela Sua morte, cumprido inteiramente tudo que era ou poderia ser contra nós, tornou-Se, na ressurreição, a origem de vida e o fundamento de justiça para todos os que crêem no Seu nome. 

A Mensagem da Graça

Além disso, quando Deus deu, no monte Sinai, as exigências severas do concerto das obras, dirigiu-Se exclusivamente a um povo. A sua voz foi ouvida unicamente dentro dos estreitos limites da nação judaica; porém, quando, nas planícies de Belém, "o anjo do Senhor" proclamou "novas de grande alegria", acrescentou estas palavras características, "que será para todo o povo" (Lc 2:10).

Um Jugo Impossível de Levar


O capítulo 15 do livro de Atos mostra-nos como o Espírito Santo respondeu à tentativa que se pretendera fazer para pôr os crentes sob a lei, como regra de vida.

"Alguns, porém, da seita dos fariseus, que tinham crido, se levantaram, dizendo que era mister circuncidá-los e mandar-lhes que guardassem a lei de Moisés" (versículo 5). 

Não somos Justificados pela Lei


Muitos, contudo, admitem que não podemos obter vida pela lei, mas sustentam, ao mesmo tempo, que a lei é a nossa regra de vida. Ora, o apóstolo declara que "Todos aqueles... que são das obras da lei, estão debaixo da maldição" (Gl 3:10). Pouco importa a sua condição individual, se estão sobre o terreno da lei, acham-se, necessariamente, sob a maldição.

  • Não somos Justificados pela Lei
Pode ser que alguém diga: "Eu estou regenerado, e, portanto, não estou exposto à maldição." Porém, se a regeneração não retira o homem do terreno da lei, não pode pô-lo para lá dos limites da maldição da lei. Se o cristão estiver debaixo da lei, está exposto, necessariamente, à maldição da lei.

A Lei Condena o Pecador


É, portanto, claramente impossível que alguém possa obter a vida e a justificação por meio daquilo que só pode amaldiçoá-lo; e a menos que a condição do pecador e o caráter da lei sejam inteira­mente alterados, a lei não pode fazer mais que amaldiçoá-lo.

  • A Lei Condena o Pecador
A lei não é indulgente com as fraquezas, e não reconhece a obediência sincera, embora imperfeita. Se fosse este o caso, não seria aquilo que é, "santa, justa e boa" (Rm7:12). É justo que o pecador não possa obter vida pela lei porque a lei é aquilo que é.

O Propósito da Lei de Deus


A verdade é que, como nos ensina o apóstolo, a lei veio para que a ofensa abundasse (Rm5:20). Isto mostra-nos claramente o verda­deiro objetivo da lei: veio a propósito para que o pecado se fizesse excessivamente maligno (Rm 7:13).

  • O Propósito da Lei de Deus
Era, em certo sentido, como um espelho perfeito enviado para revelar ao homem o seu desarranjo moral. Se eu me puser diante de um espelho com o meu vestuário desarranjado, o espelho mostra-me o desarranjo, mas não o põe em ordem.

A Lei e a Graça


Estudo sobre a Lei e a Graça (Êxodo 20)

É da maior importância compreender o verdadeiro caráter e o objeto da lei moral [1], como nos é apresentada em Êxodo 20. Existe uma tendência no homem para confundir os princípios da lei com graça, de sorte que nem a lei nem a graça podem ser perfeitamente compreendidas. A lei é despojada da sua austera e inflexível majes­tade, e a graça é privada de todos os seus atrativos divinos.

  • A Lei e a Graça
As santas exigências de Deus ficam sem resposta, e as profundas e múltiplas necessidades do pecador permanecem insolúveis pelo sistema anómalo criado por aqueles que tentam confundir a lei com a graça. Com efeito, nunca podem confundir-se, visto que são tão distintas quanto o podem ser duas coisas.

Entrando no Descanso de Deus: Um Estudo de Hebreus 3 e 4

Um estudo sobre o "Descanso de Deus na Criação" (Gn 2:2-3). Você ficará maravilhado ao descobrir que o sábado semanal [1] que Deus deu aos filhos de Israel (Ex 20:8) era na verdade uma representação de toda a mensagem evangélica (Lv 23, Cl 2:16-17). A mensagem bíblica da salvação pela graça, não por obras (Ef 2:8), "pois todo aquele que entra no descanso de Deus, também descansa das suas obras, como Deus descansou das suas." Hebreus 4:10.

Livro de Apocalipse


Estudos em Apocalipse

O Livro de Apocalipse Things New and Old - 1878

"Depois destas coisas" por G. H. Hayhoe

Esboço do Livro de Apocalipse 

Como entender o Apocalipse?  por Mario Persona

Como interpretar o Apocalipse? 
por Mario Persona 

Existe uma cronologia profetica nas cartas as 7 igrejas?
por Mario Persona

Os 144 mil de Apocalipse sao a Igreja? por Mario Persona

O Mito dos 1.260 "anos" da Supremacia Papal por Russell Earl Kelly, PHD

Preguntas frequentes sobre o livro de Apocalipse por Dirk Anderson

Sete Igrejas, Selos e Trombetas - São realmente longos períodos da história da igreja?

Special Resurrection - Is there really a special resurrection?

Seal of God - Is the Sabbath the Seal of God?

Mark of the Beast - Is Sunday the Mark of the Beast?

666 and the Beast of Rev. 13 - Does 666 refer to the Pope? Is the Catholic Church the beast?

The lamb-like beast of Rev. 13 - Is the False Prophet the United States of America?

Signs of the End - What is the meaning of the dark day, great earthquake, moon of blood?

The Two Witnesses - Is Revelation 11 really describing the French Revolution?

The 144,000 - Are they Seventh-day Adventists?

The Three Angels' Messages - Do they symbolize the SDA sect's message?

The Remnant Identified - Is it the Seventh-day Adventist Church?

Investigative Judgment - Does the Bible really teach one?

Baylon the Harlot - Find out the real identity of the beast and harlot of Revelation 17

Millennium - Where are the Saints and Satan during the Millennium?

Apêndice:

Cronograma Profético de toda a Bíblia por Russell Earl Kelly, PHD

Preterismo e o Antigo Testamento por Russell Earl Kelly, PHD

Preterismo e o Novo Testamento por Russell Earl Kelly, PHD

Em Cristo,

Hélio S. Júnior

Livro de Daniel


Estudos em Daniel

Daniel 2 em Profecia por Russell Earl Kelly, PHD

Daniel 8 em Profecia por Russell Earl Kelly, PHD

Daniel 9 em Profecia; 70 semanas por Russell Earl Kelly, PHD

O Mito dos 1.260 "anos" da Supremacia Papal por Russell Earl Kelly, PHD

Imagem de Daniel 2 - Quais são os fatos sobre esta imagem?

O Chifre Pequeno de Daniel 7 - É realmente o papado?

2300 Dias e 1844 - Qual é o significado de 1844? Os 2300 dias? O chifre pequeno de Daniel 8?

O Santuário e sua limpeza - Será que a purificação do Santuário começou em 1844?

70 Semanas - Profecia em Daniel 9 - Isso começou em 457 aC? Terminou em 34 dC?

Questions on Daniel from an Andrews University Scholar por Russell Earl Kelly, PHD

Saiba mais em:

Juízo Investigativo

Em Cristo,
Hélio S. Júnior

Depois da morte - F. G. Patterson

O que dizem as Escrituras quanto ao estado da alma do crente após a morte, e antes da vinda do Senhor? Porventura aqueles que "dormem" em Jesus podem vê-Lo agora, ou não poderão fazê-lo até que o corpo e a alma sejam reunidos?

O Décimo Mandamento Mosaico


Os Dez Mandamentos e o Cristão - C. H. Brown

O Decálogo e sua aplicação moral para o cristão. Nosso propósito é identificar a que correspondem essas "dez palavras" no Novo Testamento.

O Décimo Mandamento Mosaico

"Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem cousa alguma do teu próximo" (Êx 20:17). 

O Nono Mandamento Mosaico


Os Dez Mandamentos e o Cristão - C. H. Brown

O Decálogo e sua aplicação moral para o cristão. Nosso propósito é identificar a que correspondem essas "dez palavras" no Novo Testamento.

O Nono Mandamento Mosaico

"Não dirás falso testemunho contra o teu próximo" (Êx 20:16). 

O Oitavo Mandamento Mosaico


Os Dez Mandamentos e o Cristão - C. H. Brown

O Decálogo e sua aplicação moral para o cristão. Nosso propósito é identificar a que correspondem essas "dez palavras" no Novo Testamento.

O Oitavo Mandamento Mosaico

"Não furtarás" (Êx 20:15). 

O Sétimo Mandamento Mosaico


Os Dez Mandamentos e o Cristão - C. H. Brown

O Decálogo e sua aplicação moral para o cristão. Nosso propósito é identificar a que correspondem essas "dez palavras" no Novo Testamento.

O Sétimo Mandamento Mosaico

O próximo na seqüência é o bem conhecido sétimo mandamento: 

"Não adulterarás" (Êx 20:14).

O Sexto Mandamento Mosaico


Os Dez Mandamentos e o Cristão - C. H. Brown

O Decálogo e sua aplicação moral para o cristão. Nosso propósito é identificar a que correspondem essas "dez palavras" no Novo Testamento.

O Sexto Mandamento Mosaico

"Não matarás" (Êx 20:13). 

O Quinto Mandamento Mosaico


Os Dez Mandamentos e o Cristão - C. H. Brown

O Decálogo e sua aplicação moral para o cristão. Nosso propósito é identificar a que correspondem essas "dez palavras" no Novo Testamento.

O Quinto Mandamento Mosaico 

"Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá" (Êx 20:12). 

O Quarto Mandamento Mosaico


Os Dez Mandamentos e o Cristão - C. H. Brown

O Decálogo e sua aplicação moral para o cristão. Nosso propósito é identificar a que correspondem essas "dez palavras" no Novo Testamento.

O Quarto Mandamento Mosaico

"Lembra-te do dia do sábado, para o santificar" (Êx 20:8). 

Tenho que confessar que não pude encontrar coisa alguma que pudesse ser o correspondente a este mandamento no cristianismo. Não existe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mais Acessadas

Você já encontrou Descanso em Cristo?

Jesus Cristo, o Sábado da Nova Aliança

Você Sabia que a palavra sabbatismos é encontrado apenas uma vez na Bíblia?

"Assim, ainda resta um descanso sabático (sabbatismos) pois todo aquele que entra no descanso de Deus, também descansa das suas obras, como Deus descansou das suas. Portanto, esforcemo-nos por entrar nesse descanso, para que ninguém venha a cair, seguindo aquele exemplo de desobediência." Hebreus 4:9-11 (NIV).

O autor de Hebreus usa o sétimo dia, o Sábado, como uma sombra de uma realidade futura e atual (Hoje), quanto aceitamos o convite de Cristo:

"Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis DESCAN­SO (ou sábado) para as vossas almas." (Mateus 11 : 28,29)

A palavra "descanso" em hebraico é "SHABATH", e em Grego é "ANAPAUSSIN", que também significa "REFRIGÉRIO". Não é glorioso?

Jesus completou ou trouxe vida ao 4º mandamento, quando apresentou o verdadeiro sábado do cristão. Ele mostrou que o verdadeiro descanso es­tava Nele mesmo.

Nossa Missão: Proclamar as Boas Novas do Evangelho da Nova Aliança da Graça em Cristo Jesus e Defender a Fé combatendo os erros do Legalismo e da Falsa Religião.

Nosso Lema: A Verdade não precisa de outro fundamento que não a investigação honesta, sob a orientação do Espírito Santo e a vontade de seguir a Verdade quando for descoberta. "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará." João 8:32

Nossa Mensagem: "Porque pela graça sois salvos, mediante a fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus, não como resultado de obras, para que ninguém se glorie". Efésios 2:8-9

Nosso Método: Em amor escrever, orar e divulgar matérias escritas por teólogos e pastores ex-adventistas que fornecem informações precisas sobre a doutrina e prática da Igreja Adventista do Sétimo dia.

Nosso Mandato: Cerca de 300.000 membros deixam a Igreja Adventista do Sétimo Dia a cada ano. Muitas dessas pessoas queridas passam por um momento muito difícil de transição para outras igrejas cristãs. Eles foram ensinados que uma vez que aceitam os testemunhos de Ellen White e o Sábado do sétimo dia e depois, se abandona-los, eles perderiam a sua salvação. Observe as seguintes citações de Ellen White que os adventistas ainda consideram ser uma "fonte" autorizada da verdade, inspirada no mesmo nível que os profetas do Antigo Testamento como Isaías e Jeremias:

"It is Satan's plan to weaken the faith of God’s people in the Testimonies [writings of Ellen White] . Next follows skepticism in regard to the vital points of our faith, the pillars of our position, then doubt as to the Holy Scriptures, and then the downward march to perdition. When the Testimonies, which were once believed, are doubted and given up, Satan knows the deceived ones will not stop at this; and he redoubles his efforts till he launches them into open rebellion, which becomes incurable and ends in destruction.” Ellen G. White, Testimonies to the Church, Vol. 4, p. 211.

“If you lose confidence in the Testimonies you will drift away from Bible truth.” Ellen G. White, Testimonies to the Church, Vol. 5, p. 98.

"Then I was shown a company who were howling in agony. On their garments was written in large characters, 'Thou art weighed in the balance, and found wanting.' I asked who this company were. The angel said, 'these are they who have once kept the Sabbath and have given it up.'" Ellen G. White, Early Writings, p. 37

"God will never, never allow any man to pass through the pearly gates of the city of God who does not bear the signet of the faithful, His government mark." [in context the signet mark is the Sabbath] Ellen G. White, Medical Ministry, p. 123.

"God will frown upon those who disregard his commandments and he cannot bless the church that retains Sabbath-breakers in its fellowship." Ellen G. White, Signs of the Times, 1890-06-02.

Pode-se ver o trauma, interno intenso que os adventistas têm de enfrentar quando tentam deixar esses ensinamentos sectários de Ellen White.

Nosso Ministério: Temos ajudado milhares de pessoas na transição para fora do Adventismo, a encontrarem a certeza da salvação na justiça de Cristo somente, a tornarem-se fundamentados na Palavra de Deus e encontrar comunhão em igrejas cristãs saudáveis​​.