Azazel: Jesus ou Satanás? Levítico 16


JESUS OU SATANÁS? (Levítico 16)

Quem simboliza o Bode Emissário?


"Quanto está longe o oriente do ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões" Salmo 103.12 

Como Adventistas resolvem as seguintes questões tipológicas?

1. Os dois bodes eram "para expiação do pecado". (v.5)

Tipifica dupla obra de um mesmo individuo.

  • Jesus: Morte e Ressurreição: 1. Bode Morto (Morte de Cristo - Expiação); 2. Bode Vivo (Perdão completo/Remover a culpa - Ressurreição). O Sangue para satisfazer as justas exigências de Deus e a Ressurreição para justificação do Homem.
  • Satanás???

2. Os dois bodes deviam ser "da congregação dos filhos de Israel"(v.5)[1]

Tipifica nacionalidade Judaica.

  • Jesus é Judeu.
  • Satanás?

3. Os dois bodes deviam ser sem defeito.

Tipifica sem pecado.


  • Jesus é sem defeito.
  • Satanás?

Em breve mais informações...

Visto a impossibilidade de Satanás possuir qualquer uma das tipologias acima citadas, concluímos que o bode que tira o pecado não seja uma sombra de Satanás. Todas as características tipológicas citadas acima sobre a pessoa de Cristo são aplicações com embasamento bíblico.

CONCLUSÃO:

Todas as sombras tipificam a Cristo e sua obra.

Ainda com Dúvidas?

Como podemos resolver essa questão dos bodes? Talvez fazendo as perguntas certas... Vamos pensar um pouco:

Qual Bode carregou nossos pecados?

É bem conhecido em todos os círculos do cristianismo que as leis de sacrifício na lei de Moisés apontavam para Jesus. No entanto, existem duas crenças sobre o dia da expiação. Alguns acreditam que o primeiro bode representa Jesus, e o segundo representa Satanás. Outros acreditam que os dois bodes representam Jesus. Essas perguntas vão para todos aqueles que acreditam que Satanás é o bode expiatório.

A Bíblia diz em 1 Pedro 2:24:

"Levando ele mesmo EM SEU CORPO os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados." 1 Pedro 2:24

Qual bode levou os pecados do povo em seu próprio corpo? Foi o primeiro bode ou o segundo?


"E Arão porá ambas as suas mãos sobre a cabeça do bode vivo, e sobre ele confessará todas as iniqüidades dos filhos de Israel, e todas as suas transgressões, e todos os seus pecados; e os porá sobre a cabeça do bode, e enviá-lo-á ao deserto, pela mão de um homem designado para isso." Levítico 16:21

"Assim aquele bode LEVARÁ SOBRE SI todas as iniquidades deles à terra solitária; e deixará o bode no deserto." Levítico 16:22

A partir destes versos, vemos que o segundo bode, o bode expiatório, carrega os pecados das pessoas, assim como fez Jesus.

Você pode me mostrar um versículo que mostra o primeiro bode levando os pecados do povo?

Próxima pergunta:

Qual bode removeu os pecados do povo?

"Assim aquele bode levará sobre si todas as iniqüidades deles à terra solitária; e deixará o bode no deserto." Levítico 16:22

Sabemos que o próprio Jesus removeu nossos pecados de nós, e carregou nossos pecados em seu próprio corpo ... Vemos que ambos estão apresentados no segundo bode, o bode emissário, não no primeiro.

Novamente, a questão é: Onde em Levítico 16 podemos encontrar o primeiro bode levando os pecados em seu próprio corpo, ou removendo os pecados do povo para um lugar muito distante?

"Quanto está longe o oriente do ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões" Salmo 103.12

Se você não consegue encontrar a resposta, então por que você está tão prontamente disposto a descartar Jesus como sendo o bode expiatório, quando as funções do bode emissário são aqueles que Jesus cumpriu em si mesmo?

  • Qual bode carregou seus pecados?
  • Qual bode removeu seus pecados?
  • Qual pessoa na história fez as duas coisas por você?

Por último, mas não menos importante, se você ainda insiste que satanás é o bode expiatório, mostre-me versos que provam que satanás carregou seus pecados em seu próprio corpo.

E outro verso que mostra satanás removendo seu pecado por você.

Você vai acreditar no que a Bíblia diz, ou em uma doutrina que não pode ser provada através das escrituras?

Como a interpretação Adventistas está condicionada a interpretação do Espírito de Profecia (Ellen G. White) sobre Levítico 16 (Cf. O Grande Conflito), existirá uma enorme dificuldade em ver a obra completa do Senhor Jesus nessa linda tipologia.

NOSSOS PECADOS LANÇADOS SOBRE SATANÁS?

Ellen G. White disse:

“Também se viu que, enquanto a oferenda de pecado apontava a Cristo como sacrifício, e o sumo sacerdote representava a Cristo como mediador, o sacrifício representava a Satanás, o autor do pecado, sobre o que serão postos os pecados dos verdadeiros penitentes”. O Grande Conflito, p. 422 (grifo nosso).
“Satanás não somente arrostou o peso e castigo de seus próprios pecados, mas também dos pecados da hoste dos remidos, os quais foram colocados sobre ele; e também deve sofrer pela ruína de almas, por ele causadas.” (Primeiros Escritos, p. 294/95, citado no Ritual do Santuário, p. 315)(grifo nosso).
“Seus pecados são transferidos ao originador deles”. Testemunhos Para a Igreja, vol. 4, p. 137.

A Bíblia diz em Isaías 53:4,11,12:

“Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido... Ele verá o fruto do penoso trabalho de sua alma e ficará satisfeito; o meu Servo, o Justo, com o seu conhecimento, justificará a muitos, porque as iniqüidades deles levará sobre si. Por isso, eu lhe darei muitos como a sua parte, e com os poderosos repartirá ele o despojo, porquanto derramou a sua alma na morte; foi contado com os transgressores; contudo, levou sobre si o pecado de muitos e pelos transgressores intercedeu.”

Para saber mais sobre Azazel / Bode Emissário Clique Aqui.

Your Scapegoat: Satan or Jesus?

WHO IS YOUR SCAPEGOAT?


O SANTUÁRIO, O JUÍZO INVESTIGATIVO E O BODE EMISSÁRIO por Walter Martin


Notas:

[1]Os dois bodes deviam ser "da congregação dos filhos de Israel". A tipologia de descendência Judaica, é encontrado em muitas partes das Escrituras não só aqui em Levítico .. A Lei, as Profecias e as genealogias mostravam que "dos filhos de Israel (literal)", e não de outra nação, sairia o Messias. "a salvação vem dos judeus." João 4:22

"Eis lhes suscitarei um profeta do meio de seus irmãos, como tu, e porei as minhas palavras na sua boca, e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar." Deuteronômio 18:18

Há muitos outros textos que dão respaldo a esse tipo. Satanás não possui essa característica messiânica apresentada em Levítico, e muito menos pode ser representado como um bode sem defeito.


Em Cristo,
Hélio S. Júnior

43 comentários:

  1. Para inicio de conversa, em Lev. 17:11-14 lemos que não há vida sem sangue. Porque a alma da carne está no sangue, pelo que vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pelas vossas almas, porquanto é o sangue que fará expiação pela alma.(Hebreus 9:22)
    Em toda a bíblia após o estabelecimento das leis cerimoniais que tipificavam a morte expiatória e substituinte de Jesus, os animais que foram usados eram mortos perante o Senhor (Lev. 1:5-3:1,2-4:1 a 7, 13 a 18,22 a 25, 27 a 34-5: 1 a 6-16: 1 a 34) e na presença do sacerdote ou sumo sacerdote que oficiavam.
    O sangue do bode que foi para a terra solitária não foi derramado, não foi colocado sobre o Altar para fazer expiação (Lev. 17:11), nem foi levado “à porta da tenda da congregação diante do Senhor”(17:1 a 4).
    Osmar Ferreira-nadanospodemoscontraverdade@bol.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena que, na ânsia de atacar o adventismo, você não perceba que SEM DERRAMAMENTO DE SANGUE NÃO HÁ REMISSÃO...

      Há ainda vários outros pontos, mas não desejo utilizar seu espaço para tal. Uma breve pincelada é o suficiente:

      A-) Sem a presença de sangue não há remissão de pecados.
      B-) Para tipificar Cristo, Azazel deveria morrer. Não é o caso.
      C-) O mais raso estudo etimológico do termo Azazel (bode emissário) o aponta como sendo o 'espírito maligno do deserto'. Até nas culturas cananitas (pagãs) há resquícios que associam o termo à todo tipo de aberração e malignidade.
      D-) O real sentido do qual Ellen White fala não é, de nenhuma forma vicário (como se satanás fizesse expiação). Uma leitura não tendenciosa do texto utilizado - que, aliás é um entre centenas que a autora escreveu sobre o assunto - deixa claro que os pecados são transferidos a Satanás como uma questão de RESPONSABILIDADE, ou seja, ele é o ORIGINADOR. Assim como os ímpios devem ser responsabilizados no fim do milênio e, em certo sentido, portar seus próprios pecados, uma vez que não permitiram a Jesus fazê-lo, o mesmo vale para o originador dos pecados. Como responsável final, ele mesmo deve carregar os pecados que levou o povo a cometer. Diferentemente da morte de Jesus, que é VICÁRIA, ou seja, SUBSTITUTIVA, o banimento de Azazel - que nem sequer morre durante o cerimonial - não pode ilustrar o mesmo lado do evento.
      C-) A construção verbal do texto em Levítico 16, ("um para o SENHOR e outro para o bode emissário - ver v.18) deixa claro que há uma antítese. É ilógico inferir que o texto queira dizer 'um para o SENHOR e outro para o SENHOR'...

      Velhos argumentos. Carecem mudar a velha partitura surrada!

      Excluir
    2. Olá pessoal,

      Não creio que seja assim. Neste instante, não me recordo de nenhuma passagem que tenha uma ideia paralela a essa.

      A ideia de responsabilizar Azazel (se ele representar o diabo), faz com que a responsabilidade seja tirada dos homens que pecaram.

      Outrossim, em se tratando de escatologia, o lago de fogo receberá os pecadores na seguinte ordem:

      1)O anticristo e o falso profeta. O Anticristo é o 'homem do pecado' (Ap 19.20; 2 Ts 2.3).

      2)O diabo, que peca desde o início(Ap 20.10; 1 Jo 3.8).

      3)A morte e o inferno. A morte é o último inimigo a ser vencido (Ap 20.14; 1 Co 15.26).

      Essa ordem faz muito sentido, se imaginarmos que a morte não existirá mais, sequer para conter aqueles que ainda irão passar pelo Juizo Final, que é um juizo de perdição.

      4) Por último, todo os que não forem encontrados no Livro da Vida (Ap 20.15; Ap 21.8).

      Observe-se que cada um ainda é responsável pelo próprio pecado no dia do Juízo. No texto não há espaço para se perceber a responsabilização de Satanás, que já fora lançado no Lago de Fogo.

      Além do mais, o Juízo prossegue sem misericórdia (Tg 2.13) contra os pecadores, visto que o pecado deles ainda agride a santidade do nosso Deus.

      Abraços a Todos

      Diego Romualdo

      Excluir
  2. E, o pior da “ânsia de atacar o adventismo”, é que permitem que o diabo dirija os argumentos. Observe que é incontroverso que os que se perderem por rejeição a Jesus e a Palavra de Deus ou parte dEla, serão responsabilizado e pagarão pelos pecados cometido, tanto é verdade que serão queimados no lago de fogo. Quanto ao diabo cabe a responsabilidade por se o originador, o tentador, o acusador, usurpador, aquele que causou peleja no céu e enganou a mulher. Há ser lembrado que o lago de fogo será posterior ao milênio (Apoc. 20:1,2,3,7,8,9), quando durante os mil anos os santos julgarão o mundo e o anjos(I Cor. 6:2.3-Lucas 22:30-Apoc. 20:4) que com certeza inclui Satanás. Há ainda de se observado que alguém tem que ser responsabilizado pelas desgraças ocorridas na terra. Vejo que se o Tenente for pro céu, abrirá divergência tirando a responsabilidade de diabo, até parece que está com pena do diabo. Contudo, será voto facilmente vencido, veja o voto antecipado de Pedro e João que acompanho:
    “...o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar (1 Pedro 5:8).
    “...Ai dos que habitam na terra e no mar; porque o diabo desceu a vós, e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo” (Apocalipse 12:12)
    “E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao remanescente da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo”.
    (Apocalipse 12:17)

    Apalavra de Deus é explicita ao declarar que o diabo é:
    - homicida e peca desde o principio e é o pai da mentira ( João 8:44).

    Apalavra de Deus é explicita ao declarar que Jesus veio desfazer AS OBRAS do diabo (1 João 3:8)

    Que obras? A Palavra de Deus responde: homicídio, pecado, mentira, sedutor de todo mundo (Apoc. 12:9).
    Osmar Ferreira-nadanospodemoscontraverdade@bol.com.br

    ResponderExcluir
  3. Muitíssimo bem, Osmar!!

    Novamente vejo seu espírito agressivo ao argumentar. Lembro-lhe que a pouca força de argumentos nos fazem usar os argumentos da força.

    Digo isso por que achei extremamente agressivo você insinuar que meu argumento é dirigido por Satanás ou que tenho demonstrado dó por ele.

    É muito comum ver em seus argumentos o termo "é incontroverso", quando o que é mais comum em seus argumentos são as controvérsias.

    Acrescento-lhe que as Escrituras não são de interpretação particular. Elas é que se interpretam. E nesse exercício, ninguém nunca levantou a interpretação de que Azazel fosse o diabo.

    Azazel é a prefigura o perdão de Cristo aos nossos pecados. É um paralelo a Mq 7.18,19. Ninguém jamais buscava Azazel de volta do acampamento, bem como ninguém jamais pescará nossos pecados do fundo do mar.

    Se for replicar, que o faça na graça

    Diego Romualdo

    ResponderExcluir
  4. Osmar:

    "Nenhuma palavra torpe saia da boca de vocês, mas apenas a que for útil para edificar os outros, conforme a necessidade, para que conceda graça aos que a ouvem. Não entristeçam o Espírito Santo de Deus, com o qual vocês foram selados para o dia da redenção. Livrem-se de toda amargura, indignação e ira, gritaria e calúnia, bem como de toda maldade. Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus perdoou vocês em Cristo." (Efésios 4:29-32)

    Hélio Júnior

    ResponderExcluir
  5. Osmar e Evanildo,Paz!

    Até o presente momento, nenhum comentarista adventista conseguiu resolver as questões tipológicas apresentadas.

    - Igualdade entre os bodes.

    - Nacionalidade Judaica.

    - Sem pecado.

    - Etc.

    Em Cristo,

    Hélio S. Júnior

    ResponderExcluir
  6. Olá,amigos e irmãos.

    O conhecimento se constrói coletivamente. A Bíblia diz que na multidão de conselheiros há sabedoria. Continuemos nossa conversa...

    Vejamos:

    A tipologia, como já mencionei, não esgota todas as correspondências. Isso tem de ficar claro,pois, se assim fosse, teríamos de admitir que Jesus está utilizando SANGUE LITERAL agora no Céu! E esta é apenas uma das implicações de se corresponder 100% os conceitos tipológicos. Tipologia bíblica se expressa por linhas gerais e nunca por correspondência 100% literalista.

    Outro ponto, diria mais importante que este é a necessidade do sangue para a remoção do pecado. Em nenhum momento Azazel derrama sangue e sem derramamento de sangue não há perdão! Como Azazel tipificaria Cristo se não dá seu sangue? Aliás, o versículo 20 de Levítico 16 deixa absolutamente claro que "ACABADO ENTÃO DE FAZER A EXPIAÇÃO..." é que Azazel entra em cena. E ainda há uma figura textual que não pode ser ignorada: enquanto o bode do SENHOR morre, Azazel é deixado vivo, mesmo DEPOIS de a expiação ter acabado!

    Ainda: a posição PENTECOSTAL E CATÓLICA, que coloca Azazel como tipo de Cristo advém de textos que dizem o Cordeiro que 'leva' o pecado do mundo. Aplicam, então o mesmo critério de exegese a Cristo. Meio certo! Ocorre que quando Azazel aparece para a cerimônia, o pecado já tinha sido levado! No sangue! Esses dois ponto não podem ser esquecidos, pois são o cerne da Expiação: sempre através de sangue!

    O irmão Tenente Romualdo se equivoca ao afirmar que Azazel prefigura a Cristo citando Miq. 7. Ali existe a narrativa em parábola da corrupção moral de Israel. Lembrando que cerca de três vezes (minha tradução é a RA) a palavra 'perdão' é mencionada. Perdão, como sabemos, só ocorre com sangue derramado! Desta forma não é possível dizer que - literalmente falando - nossos pecados estão nas regiões abissais do mar. São figuras de linguagem muito diferentes, Lev. 16 e Miq.7...

    Outro ponto que o irmão Romualdo cita é que responsabilizar Azazel (o Diabo) pelos pecados é retirá-lo (o pecado) das costas do homem pecador. Respeitosamente,discordo.

    Em nenhum momento é dito nas Escrituras que o homem é o ORIGINADOR do pecado! É dito por Jesus que o Diabo vive pecando desde o princípío (Jo 8), ou seja, ele mesmo é o originador. Portanto deve ser responsabilizado pela presença do pecado. Isso é lógico! Azazel, o Diabo, irá para o lago de fogo como originador e culpado principal! O pecado do homem é uma extensão do pecado de Satanás. Pòr isso o homem pecador, não regenerado pelo Espírito, é chamado filho do diabo (Jo 8)...

    Em Cristo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Paz do Senhor irmão Evanildo,

      Sim, é realmente um assunto maravilhoso,

      Concordo com o irmão que não devemos extrapolar a tipologia. No entanto, todas as características tipológicas citadas acima sobre a pessoa de Cristo são aplicações com embasamento bíblico.

      No caso dos "filhos de Israel", a tipologia de descendência Judaica, é encontrado em muitas partes das Escrituras não só aqui em Levítico .. A Lei, as Profecias e as genealogias mostravam que "dos filhos de Israel (literal)", e não de outra nação, sairia o Messias. "a salvação vem dos judeus." João 4:22

      "Eis lhes suscitarei um profeta do meio de seus irmãos, como tu, e porei as minhas palavras na sua boca, e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar." Deuteronômio 18:18

      O irmão também deve conhecer muitos outros textos que dão respaldo a esse tipo.

      Satanás não possui essa característica messiânica apresentada em levítico, e muito menos pode ser representado como um bode sem defeito.

      Continua...

      Excluir
    2. Como podemos resolver essa questão dos bodes? Talvez fazendo as perguntas certas... Vamos pensar um pouco:

      Qual Bode carregou nossos pecados?

      Eu e o irmão concordamos que as leis sobre sacrifício na Lei de Moisés apontavam para Jesus.

      No entanto, nossas crenças sobre o dia da expiação são diferentes.

      Enquanto o irmão acredita que o primeiro bode representa Jesus, e o segundo representa Satanás; eu, por outro lado, creio que os dois bodes representam Jesus.

      Como o irmão acredita que Satanás é o bode expiatório, vou fazer algumas perguntas para nossa reflexão e edificação:

      A Bíblia diz em 1 Pedro 2:24:

      "Levando ele mesmo EM SEU CORPO os nossos pecados sobre o madeiro, para que, mortos para os pecados, pudéssemos viver para a justiça; e pelas suas feridas fostes sarados." 1 Pedro 2:24

      Qual bode levou os pecados do povo em seu próprio corpo? Foi o primeiro bode ou o segundo?

      "E Arão porá ambas as suas mãos sobre a cabeça do bode vivo, e sobre ele confessará todas as iniqüidades dos filhos de Israel, e todas as suas transgressões, e todos os seus pecados; e os porá sobre a cabeça do bode, e enviá-lo-á ao deserto, pela mão de um homem designado para isso." Levítico 16:21

      "Assim aquele bode LEVARÁ SOBRE SI todas as iniqüidades deles à terra solitária; e deixará o bode no deserto." Levítico 16:22

      A partir destes versos, vemos que o segundo bode, o bode expiatório, carrega os pecados das pessoas, assim como fez Jesus.

      Você pode me mostrar um versículo que mostra o primeiro bode levando os pecados do povo?

      Próxima pergunta:

      Qual bode removeu os pecados do povo?

      "Assim aquele bode levará sobre si todas as iniqüidades deles à terra solitária; e deixará o bode no deserto." Levítico 16:22

      Sabemos que o próprio Jesus removeu nossos pecados de nós, e carregou nossos pecados em seu próprio corpo ...

      Vemos que ambas características estão apresentados no segundo bode, o bode emissário, não no primeiro.

      Novamente, a questão é: Onde em Levítico 16 podemos encontrar o primeiro bode levando os pecados em seu próprio corpo, ou removendo os pecados do povo para um lugar muito distante?

      "Quanto está longe o oriente do ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões" Salmo 103.12

      Se você não consegue encontrar a resposta, então por que você está tão prontamente disposto a descartar Jesus como sendo o bode expiatório, quando as funções do bode emissário são aqueles que Jesus cumpriu em si mesmo?

      Qual bode carregou seus pecados?
      Qual bode removeu seus pecados?

      Qual pessoa na história fez as duas coisas por você?

      Por último, mas não menos importante, se você ainda insiste que satanás é o bode expiatório, por favor, mostre-me versos que provam que satanás carregou o seu pecado em seu próprio corpo.

      E outro verso que mostra satanás removendo o seu pecado por você.

      Você vai acreditar no que a Bíblia diz, ou em uma doutrina que não pode ser provado através das escrituras?

      Como a interpretação Adventistas está condicionada a interpretação do Espírito de Profecia (Ellen G. White) sobre Levítico 16 (Cf. O Grande Conflito), existirá uma enorme dificuldade em ver a obra completa do Senhor Jesus nessa linda tipologia.

      Em Cristo,

      Hélio S. Júnior
      ===========

      Excluir
  7. Olá Evanildo,

    Concordo com você que os tipos não podem ser totalmente correspondentes ao antitipo. Entretanto, há mais correspondencias entre Azazel e Cristo que entre Azazel e o diabo. E isso tem sido incisivamente demonstrado neste post.

    Fiquei positivamente admirado com a clareza e respeito com os quais você se posicionou. Ainda mais por você ter admitido que a visão PROTESTANTE e CATÓLICA a respeito de Azazel está, pelo menos, meio certa. Assim, cabe a mim procurar esclarecer a outra metade que talvez ainda seja obscura para você.

    É inquestionável que o sangue é que faz expiação pelo pecado. Porém, o que Lv 16.20 afirma é que tinha sido concluída a expiação PELO SANTUÁRIO.

    Como expus em algum comentário acima, nós não podemos deixar de lado o motivo pelo qual Deus ordenou o uso de um carneiro e dois bodes. E, conforme Lv 16.5, ambos os bodes faziam parte da cerimônia de expiação.

    Agora, se sua visão estiver certa (Azazel não poderia expiar um pecado já expiado pelo bode do sacrifício), não há como entender o porquê de Lv 16.10 também chamá-lo de bode da expiação.

    Não cabe discussão ao fato de que a cerimônia inteira tem como finalidade realizar a expiação do pecado (Lv 16.33,34) e é isso que nós, evangélicos, questionamos na visão adventista:

    Como pode Azazel representar Satanás se ambos os bodes fazem parte da cerimônia destinada à expiação pelo pecado? Estaria Satanás envolvido no processo de expiação?

    Ademais, se considerarmos que a expiação é COBERTURA e não APAGAMENTO de pecados, torna-se plenamente possível que Azazel leve para longe os pecados já cobertos, mas não apagados.

    Em Cristo

    Diego Romualdo

    ResponderExcluir
  8. A Paz, irmão Hélio!

    Vou tentar responder as questões.

    A-) O ponto principal de minha argumentação não é a tipologia. Veja que eu frisei por várias vezes que é a presença de sangue que identifica quem leva os pecados no sentido substitutivo, ou seja, em nosso lugar. Aqui divergimos. Como citei, o fato de Satanás levar os pecados não significa que ele leva os NOSSOS pecados. Não é isso! Levar em sentido vicário (substitutivo) é para perdão e sempre com a presença de sangue! Não esqueça! Azazel leva os pecados como RESPONSÁVEL pela existência dos pecados. Ora, se mesmo os ímpios irão para o lago de fogo como consequência dos próprios pecados, que dizer do ORIGINADOR? Novamente vale a pena frisar que 'levar os pecados' não é somente em sentido vicário (substitutivo), em nosso lugar, mas, também, significando assumir a responsabilidade pelos próprios pecados. A relação com o sangue (ou falta de) reforça essa tese...

    B-) O irmão pergunta: "Você pode me mostrar um versículo que mostra o primeiro bode levando os pecados do povo?" Aqui o argumento do irmão fica confuso. Veja: Jesus levou os pecados em seu próprio corpo, enquanto Azazel os leva ao deserto. Não é dito que ele os leva no corpo! O irmão ainda se vale do Salmo 103 novamente confundindo as figuras de linguagem. O Salmo 103 não é tipológico. Nem sequer alude ao Santuário! Este tipo de confusão com as figuras de linguagem permite inferir, por exemplo, que as almas passeam entre o seio de Abraão e o inferno... absurdo!

    C-)Como a Bíblia poderia dizer 'um bode para o SENHOR e outro para o SENHOR' como quer o irmão? É correto dizer 'uma bala para o Evanildo e outra para o Evanildo'? Ou seria correto 'uma bala para o Hélio e outra para o Evanildo'? Amigo, Moisés sabia o que estava escrevendo! A figura de linguagem usada aqui é ANTÍTESE, oposição de idéias. Qualquer escritor conhece esse recurso...

    Mas a contradição mais nítida é dizer que um bode vivo pode levar pecados no sentido substitutivo. A Bíblia deixa claro que Jesus levou nossos pecados à CRUZ! Foi a vida de Jesus, Seu sangue derramado que nos garante o perdão. Afinal foi preciso que Ele morresse! Azazel jamais poderia tipificar Cristo permanecendo vivo! Uma dica: o irmão pode pesquisar a ETIMOLOGIA (significado primordial) do termo Azazel. Eruditos judeus sempre o identificam como sendo o 'espírito mau do deserto'. Há muito material disponível.

    Veja que sobre o primeiro bode nenhum pecado é confessado! É uma oferta limpa! Aliás, o verso 16 deixa claro que a cerimônia é uma purificação do Santuário! É, também, para remoção dos pecados do Santuário!

    Um aparte:
    Todo oponente do adventismo se vale de EGW para dizer que foi ela quem inventou a teologia adventista. É um erro comum. Não é o caso. Toda a compreensão bíblica adventista parte das Sagradas Escrituras. Acompanhe a literatura adventista, leia sobre nossa história denominacional. Não vale a pena seguir a trilha surrada de Walter Rea, D.M. Canright, ou contemporâneos como Natanael Rinaldi e a trupe pseudocristã do CACP. Convido o irmão a ler o livro "O Sacerdócio Expiatório de Cristo" do autor Frank Holbrook. Será de muita valia, bem como "EM Busca de Identidade" de George Knight para saber mais sobre o desenvolvimento das crenças adventistas. Essas são as fontes primárias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz, irmão Evanildo!

      Sobre as questões.

      A) O irmão ainda não solucionou os muitos problemas causados na interpretação adventista pela tipologia bíblica do animal inocente (carregar pecados que não são seus), sem mancha (perfeito), dos filhos de Israel (Filho de Davi), que leva os pecados, transgressões, iniquidades em seu corpo (substituição), remove os pecados do povo (perdão completo), etc.

      Talvez ainda não tenha entendido sua posição em relação ao segundo bode. Satanás leva ou não nossos pecados? São os pecados dos que foram perdoados por Cristo ou os pecados dos ímpios que são colocados sobre Satanás?

      Lembre-se, a existência de dois bodes é devido a incapacidade natural do bode morto continuar representando o efeito causado pelo sangue, o efeito de levar os NOSSOS pecados para longe.

      B) Não obtive nenhuma resposta sua em relação as perguntas: Qual Bode carregou nossos pecados? Qual bode removeu os pecados do povo? Qual bode levou os pecados do povo em seu próprio corpo? Foi o primeiro bode ou o segundo? Você pode me mostrar um versículo que mostra o primeiro bode levando os pecados do povo? Você pode me mostrar um versículo que prova que satanás carregou nossos pecados em seu próprio corpo? E outro verso que mostra satanás removendo nossos pecados?

      A única resposta que tive foi sobre a pergunta: "Você pode me mostrar um versículo que mostra o primeiro bode levando os pecados do povo?" e você disse que “Jesus levou os pecados em seu próprio corpo, enquanto Azazel os leva ao deserto. Não é dito que ele os leva no corpo!

      O irmão notará que se equivocou nessa afirmação;

      Sobre Jesus, como irmão concorda, é dito:

      “Porque as iniqüidades deles LEVARÁ SOBRE SI.

      Sobre Azazel, o bode emissário, é dito:

      "Aquele bode LEVARÁ SOBRE SI todas as iniqüidades

      Preciso explicar o significado de levará sobre si?

      Não disse que o Salmo 103 é tipológico. Este Salmo não causa confusão alguma ao assunto amado irmão, pelo contrário, esclarece. Ele alude a uma verdade bíblica, de que Deus “afasta de nós as nossas transgressões”. Encontramos essa verdade na figura do segundo bode que leva para longe os pecados dos filhos de Israel.

      Continua...

      Excluir
    2. Irmão, sempre devemos usar o NT para explicar o AT:

      C) Em relação à ANTÍTISE existe algo interessante nas Escrituras.

      O fato de Azazel, talvez significar algo “mal', “amaldiçoado” ou “contrário a Deus”, não deve ser obstáculo para que entendamos que o bode emissário é Jesus. Deve se ter em mente que a cruz é uma vergonha, uma maldição e é Jesus que pendia sobre ela. Jesus tornou-se amaldiçoado por nós, foi abandonado pelo Pai.

      Paulo diz que Jesus se fez pecado por nós (2. Co 5:21). Ele carregou o pecado do mundo. Assim, o mal foi colocado sobre ele no sentido da expiação da cruz. O bode expiatório era levado para fora do acampamento. Falando da morte de Jesus fora de Jerusalém, Hebreus diz:

      "Portanto, vamos sair a Ele, fora do arraial, levando o seu vitupério" (Hb 13:13).

      ”Deus tornou pecado por nós aquele que não tinha pecado, para que nele nos tornássemos justiça de Deus.” (2 Co 5:21)

      ”Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro;” Gl 3:13

      Outro exemplo, nós normalmente associamos uma "serpente" com Satanás e a Bíblia faz essa comparação dezenas de vezes, no entanto, a Escritura e o Senhor Jesus, não interpretaram a "serpente" colocada em um poste por Moisés como Satanás. Ao contrário, Cristo tomou este símbolo de Satanás e o usou para representar um aspecto de Sua expiação.

      “Moisés fez então uma serpente de bronze e a colocou num poste. Quando alguém era mordido por uma serpente e olhava para a serpente de bronze, permanecia vivo.” (Nm 21:9).

      E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado;” (Jo 3:14).

      Continua...

      Excluir
    3. Quando Paulo se refere ao dias santos da antiga aliança, que inclui os serviços do Dia da Expiação, ele os chamou de "sombra" e no contexto, uma sombra de Cristo e não Satanás.

      “Portanto, não permitam que ninguém os julgue pelo que vocês comem ou bebem, ou com relação a alguma festividade religiosa ou à celebração das luas novas ou dos dias de sábado. Estas coisas são sombras do que haveria de vir; a realidade, porém, encontra-se em Cristo. (Cl 2:16-17)

      O mesmo é verdade em Hebreus 10:1, onde se tem uma clara referência aos serviços anuais do Dia da Expiação e nenhuma menção é feita sobre Satanás.

      “A Lei traz apenas uma sombra dos benefícios que hão de vir, e não a realidade dos mesmos. Por isso ela nunca consegue, mediante os mesmos sacrifícios repetidos ano após ano, aperfeiçoar os que se aproximam para adorar.

      Se pudesse fazê-lo, não deixariam de ser oferecidos? Pois os adoradores, tendo sido purificados uma vez por todas, não mais se sentiriam culpados de seus pecados.

      Contudo, esses sacrifícios são uma recordação anual dos pecados, pois é impossível que o sangue de touros e bodes tire pecados.

      Por isso, quando Cristo veio ao mundo, disse: "Sacrifício e oferta não quiseste, mas um corpo me preparaste; de holocaustos e ofertas pelo pecado não te agradaste".

      Então eu disse: Aqui estou, no livro está escrito a meu respeito; vim para fazer a tua vontade, ó Deus.

      Primeiro ele disse: "Sacrifícios, ofertas, holocaustos e ofertas pelo pecado não quiseste, nem deles te agradaste" ( os quais eram feitos conforme a Lei ).

      Então acrescentou: "Aqui estou; vim para fazer a tua vontade". Ele cancela o primeiro para estabelecer o segundo.

      Pelo cumprimento dessa vontade fomos santificados, por meio do sacrifício do corpo de Jesus Cristo, oferecido uma vez por todas.

      Dia após dia, todo sacerdote apresenta-se e exerce os seus deveres religiosos; repetidamente oferece os mesmos sacrifícios, que nunca podem remover os pecados.

      Mas quando este sacerdote acabou de oferecer, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se à direita de Deus.

      Daí em diante, ele está esperando até que os seus inimigos sejam colocados como estrado dos seus pés; porque, por meio de um único sacrifício, ele aperfeiçoou para sempre os que estão sendo santificados.

      O Espírito Santo também nos testifica a este respeito. Primeiro ele diz:

      "Esta é a aliança que farei com eles, depois daqueles dias, diz o Senhor. Porei as minhas leis em seus corações e as escreverei em suas mentes"; e acrescenta: "Dos seus pecados e iniqüidades não me lembrarei mais".

      Onde essas coisas foram perdoadas, não há mais necessidade de sacrifício pelo pecado.

      Portanto, irmãos, temos plena confiança para entrar no Santo dos Santos pelo sangue de Jesus, por um novo e vivo caminho que ele nos abriu por meio do véu, isto é, do seu corpo.”
      (Hb 10:2-21)

      Continua...

      Excluir
    4. A conclusão do autor de Hebreus é de que Cristo não só morreu por nossos pecados, mas também levou-os embora, para nunca mais serem vistos novamente. Essa interpretação é bíblica, centrada em Cristo e em harmonia com o evangelho da nova aliança da graça!

      Sim, ambas os bodes apontavam para Cristo e trazem as boas notícias de uma expiação completa!

      “Apaguei as tuas transgressões como a névoa, e os teus pecados como a nuvem; torna-te para mim, porque eu te remi.” (Is 44:22)

      ”Porque serei misericordioso para com suas iniqüidades, E de seus pecados e de suas prevaricações não me lembrarei mais.” (Hb 8:12)

      “Esconde a tua face dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniqüidades.” (Sl 51:9)

      “Naqueles dias, naquela época", declara o Senhor, "se procurará pela iniqüidade de israel, mas nada será achado, pelos pecados de Judá, mas nenhum será encontrado, pois perdoarei o remanescente que eu poupar.” (Jr 50:20)

      ”Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica.” Rm 8:33

      ”E jamais me lembrarei de seus pecados e de suas iniqüidades. Ora, onde há remissão destes, não há mais oblação pelo pecado.” (Hb 10:17,18).

      Continua...

      Excluir
    5. A dificuldade que o irmão encontra em não aceitar que o bode vivo possa levar pecados no sentido substitutivo, é porque ainda não compreendeu que os dois bodes representam uma única obra (Oferta). Como disse anteriormente a existência de dois bodes é devido a incapacidade natural do bode morto continuar representando o efeito causado pelo sangue, o efeito de levar os NOSSOS pecados para longe.

      O segundo bode carrega os pecados que foram expiados pelo sangue do primeiro bode, representando o efeito abençoado da obra de Cristo, de que os pecados do povo foram para sempre removidos, apagados. Isto está em harmonia com os dois pássaros utilizados em conexão com a purificação do leproso. Adventistas acreditam que nossos pecados foram apagados?

      Continua...

      Excluir
    6. Você também disse "que sobre o primeiro bode nenhum pecado é confessado!" Isso mesmo, os pecados foram confessados sobre o segundo.

      Por isso perguntei:

      Qual bode carregou seus pecados?
      Qual bode removeu seus pecados?
      Qual pessoa na história fez as duas coisas por você?

      Você sabe o que isso significa, não sabe?

      Continua...

      Excluir
    7. Um aparte:

      Irmão, não disse que EGW inventou a teologia adventista. Disse que a interpretação Adventista está condicionada a interpretação do Espírito de Profecia (Ellen G. White) sobre Levítico 16 (Cf. O Grande Conflito). Ou seja, que o irmão não poderá ter uma opinião contrária ao revelado pelo Espírito de Profecia.

      Pois ao negar uma visão de Ellen White, além de coloca-la no rol dos falsos profetas, traria conseqüências catastróficas a muitas doutrinas ASD.

      Aconteceria o que chamamos de efeito “dominó”, ou “bola de neve”, pois as doutrinas ASD “distintivas” estão intimamente conectadas. Derrubando uma, outras caem.

      Como irmão deve saber, Ellen teve uma “visão de Deus” aprovando essa doutrina, anteriormente apresentada pelo pioneiro ORL Crosier.

      Os pioneiros adventistas que tinham buscado base na Escritura, a aprovaram por unanimidade como uma crença adventista, após sua aprovação (visão).

      Como ela é na visão adventista "inspirada por Deus", nunca um adventista pode estar contra o que ela escreveu. Assim infelizmente a interpretação Adventista está condicionada a interpretação do Espírito de Profecia. O que um disse o outro tem que dizer.

      “Como a mensageira do Senhor, seus escritos são uma contínua e autorizada fonte de verdade e proporcionam conforto, orientação, instrução e correção à Igreja.” Crença N°18.

      “Nas cartas que escrevo, nos testemunhos que dou estou apresentando-lhes o que o Senhor a mim revelou. Nunca escrevi um artigo que expressasse simplesmente minhas idéias. Meus escritos são o que Deus tem revelado em visão e preciosos rios de luz partem brilhando do seu trono.” The Testimonies Slighted, p. 67, vol V.

      "Os testemunhos são do Espírito de Deus ou do Diabo" Testemunhos Para a Igreja, vol. 4, p. 230.

      Por isso, disse ao irmão que devido a interpretação “inspirada” de Ellen, existirá uma enorme dificuldade em ver a obra completa do Senhor Jesus nessa linda tipologia.

      Minha pergunta final é:

      O irmão consideraria errado ou uma heresia eu dizer para o irmão orar bastante para que seus pecados possam ser confessados sobre a cabeça do bode emissário (Satanás) e levados para a terra do esquecimento. Para que aguarde em oração enquanto a obra expiatória de Jesus não é concluída no Santuário?

      Em Cristo,

      Hélio S. Júnior
      -----------

      Excluir
  9. Olá, irmão Diego Romualdo.

    É uma honra e um alívio para mim poder dialogar no Espírito de Cristo com irmãos de saber e fé como vossa pessoa e a do irmão Hélio,autor deste espaço. Confesso que no começo minhas considerações fiquei muito apreensivo acerca do espírito com o qual seria recebido. Acabo por chegar já com o 'escudo levantado'... rs

    Mas vamos ao tema:

    A interpretação que sustenta Azazel como sendo um tipo de Cristo tem sua origem documentada - porém não desfruta de consenso entre os estudiosos cristãos - à partir do irmão John Nelson Darby (1800-1888). Foi ele quem delimitou a História em Dispensações e, posteriormente agrupou a teoria do arrebatamento secreto. Todos os demais registros dessa interpretação como a vemos hoje são posteriores a J. N. Darby. Outras fontes a colocam como fruto da Contra-Reforma, daí eu mencionar que fosse uma interpretação pentecostal e católica,pois são as únicas fontes disponíveis. De forma alguma quis ser pejorativo!

    A Bíblia de Estudo ALfalit Brasil cita do dr.Samuel Nystrom como autoridade no assunto para corroborar a versão.

    Acerca da presença do sangue, o verso 17 nos diz que ninguém deveria entrar na tenda ' até que saia depois de feita a expiação por si,por sua casa e por toda a congregação de Israel'. Somando isto ao fato narrado no verso 20, conclui-se que todo o público era envolvido na expiação, que esta era por todos os envolvidos. Acabada a expiação geral,o sacerdote saía e só depois a figura do bode vivo era apresentada.

    Gostaria de um breve aparte a título de explicação:

    Sob todos os aspectos concordamos que é a morte de Cristo que provê perdão, ok? Morte esta que é vicária,ou seja, SUBSTITUTIVA,correto? E que lindo! Esta morte nos torna irmãos!

    A Bíblia deixa cristalino que Jesus tomou sobre Si mesmo os nossos pecados e que morreu para nos substituir, ou seja, morre o Criador para que a criatura possa viver - nas palavras de John Huss.

    João Batista nos diz:"Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo(João 1:29)." E como tira este pecado? Morrendo! Isaías 53 é uma fonte indispensável às nossas considerações,bem como acerca do papel do sangue de Cristo no processo. É NA MORTE que Cristo leva os pecados!

    Aliás, em uma analogia oportuna, falando sobre os elementos antitipológicos, Paulo cita não ser 'pelo sangue de touros E BODES, mas pelo Seu próprio sangue' que Jesus obteve eterna redenção para nós! Ora,se uma redenção,perdão, expiação pudesse ser realizada sem sangue, o apóstolo jamais tomaria essa analogia! Fica claro queo autor de Hebreus não admite expiação sem sangue! E não existe nenhum texto bíblico que abone ou cite a idéia ainda que marginalmente ou por dedução lógica... Expiação vicária ésempre por meio de sangue! Paulo ainda cita que, no serviço anula - o que estamos tratando - tudo se processava' não sem sangue' fortalecendo ainda mais a expiação pelo sangue! No verso 7 de Hebreus 11 fica claro que era'pelos pecados de ignorância do povo' e por si mesmo, englobando todo o público presente. O verso 13 diz que a purificação era através do sangue.

    Sobre a etimologia de "expiação" esse 'cobrimento' não é num sentido de 'encobrimento', de velar algo,ocultar,etc... mas no sentido de cobrir como se cobre um cheque pré-datado - com a devida licença pela liberdade de comparação,claro!

    "Cobrir" aqui é no sentido de saldar uma dívida. Ora, sabemos que "o salário do pecado é a morte" (Rom. 6:23)! Através da morte de Cristo, Seu sangue salda, cobre, paga essa dívida!

    Ora, que há de errado em se inferir que Satanás possa sofrer as consequências do pecado? Se o ser humano (consequência) pecador que não aceita a Cristo sofrerá essa pena, que dizer do ORIGINADOR de todo pecado?

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô meu amado Evanildo (com tom de ternura),

      Espero sempre contar com seu espírito amoroso para tratarmos dos assuntos do Reino! Conte sempre com esse mesmo espírito em mim...

      Lendo um pouco mais sobre Azazel, é necessário que eu retifique minha forma de expor as ideias. Afinal o texto diz que um bode seria para Azazel, e não que o bode seria o próprio Azazel.

      Entretanto, isso nos expõe a uma ideia difícil de conciliar: a de ver judeus enviando oferendas a um espírito mau do deserto. E se observarmos que isso faz parte de uma cerimônia de expiação, alguém pode se levantar e dizer que essa oferenda seria para "apaziguar os espíritos maus"!! É uma interpretação extremada, mas possível. É possível, mas é herética.

      Como a tradução de Azazel é incerta, é possível também que tenha ocorrido a contração indevida de duas palavras Ez (bode) Azel (vai embora), significando "o bode da partida". Tradução possível, visto que a passagem trata de bodes.

      Excluir
  11. Sou levado a enfatizar os pontos já explorados. Onde você leu no texto de Lv 16, que o bode para Azazel tipifica o originador por nossos pecados? Mostre-nos referências, pois é essa a interpretação adventista que causa grande estranheza nos estudantes evangélicos!

    Como já disse, vemos o texto chamar também a Azazel de bode expiatório (Lv 16.10). E se Azazel for Satanás, isso faz com que nosso adversário tenha parte em nossa expiação, o que é uma grave heresia!! E por falar em bode expiatório, é bom lembrar que hoje em dia, esse termo significa que alguém inocente vai "pagar o pato" no lugar de outra pessoa. Aqui no Triângulo Mineiro, ouço as pessoas usarem também o termo "Boi de Piranha". É aquele primeiro boi a atravessar o rio e que atrairá a atenção das piranhas. Enquanto elas o atacam, a boiada atravessa ilesa do outro lado... Enfim, o "bode expiatório" representa alguém certo, no lugar e hora errados: afinal era inocente, na verdade.

    Insisto em que você, por favor, resolva o impasse em que o verso 10 nos coloca: pode Azazel ser um bode expiatório e ao mesmo tempo ser um tipo de Satanás?

    ResponderExcluir
  12. Pesquisei um pouco mais sobre o termo "expiação" e como resultado, é preciso que eu discorde de você no significado deste termo.

    De modo geral, o termo expiação compreende a ideia de perdão mediante sacrifícios. Contudo, isso só pode ser verdade para o sacrifício de Cristo. Afinal, o sangue dos bodes não podia tirar pecados, mas Cristo é o cordeiro que tira o pecado do mundo (Hb 10.9 / Jo 1.29). Logo, a expiação no AT não pode significar perdão, mas no máximo, cobertura, encobrimento.

    Cobertura, no sentido que você reinvindica (prover fundos para cobrir um cheque, por exemplo) é mais propriamente aplicado ao termo redenção ou resgate. A cobertura que digo ser o equivalente de expiação é aquela semelhante ao reparo que se faz numa parede já rabiscada por crianças. Cobrem-se os rabiscos com tinta, a fim de reparar a aparência. Aliás, reparar também é um dos significados de expiar. Os teólogos dizem que o termo é "kaphar".



    Há mais traços indicativos de que o bode para Azazel represente a Cristo que Satanás. Afinal, há várias características (já apontadas pelo Hélio) que o associam a Jesus. Ademais, torno a dizer que Lv 16.10 torna a associação desse bode com Satanás irreconciliavel, visto que também o chama de bode para expiação.

    ResponderExcluir
  13. A Paz,irmão.

    Quanto ao termo expiação,concordo. Só uma ressalva: o irmão não restringiu vossa pesquisa apenas ao significado comum do termo? Pois que expiação que o irmão se refere lembra muito mais as noções pagãs de sacrifício que são enraizadas na obrigação de se aplacar uma divindade enraivecida. Por quê?

    Na Bíblia há o mesmo termo em vários sentidos. Veja:

    Expiação redentiva: quando o pecado era perdoado e apagado pela morte do substituto (por exemplo Lev. 4:34,35).

    Expiação punitiva: quando o pecador perdia a vida devido a seus delitos (por exemplo o caso de Zimri em Núm 25:6-18). Ou no caso em que um homicida era executado por seu crime (Núm 35:16,30-33).

    É precisamente o segundo tipo que tenho insistido! E de forma geral,expiação sem perdão é um tanto contraditória. Sem querer confundir os conceitos, AMBAS SÃO REALIZADAS MEDIANTE SANGUE!

    A títulode ilustração, a palavra usada na tradução inglesa King James para 'expiar' é 'atonement', junção de três termos (at, one,ment), que traduzido significa 'emum mesmo caminho',em 'um só trilho' ou 'por um só meio', dando a associação de uma dívida paga,o que corrobora minha insistência no papel do sangue... ora sabemos que a quitação da dívida do pecadoocorre através do sangue de Jesus!

    O irmão trouxe uma informação importante à nossa conversa: as dificuldades com termo Azazel...

    De fato não existe muita fonte consensual sobre como foi cunhado o termo, ou seja a etimologia. O que temos de informação vem de fonte rabínica, tanto do período intertestamentário quanto de comentaristas da Idade Média, sempre de fonte judaica. Daí o ponto que exponho,o fato de ser Azazel sempre associado a uma entidade maligna. E não dá pra afirmar que a práxis hebraica referente a este bode seja uma oferta, por duas razões básicas: a-) a caracterização de idolatria,terminantemente execrada por Jeová e; b-) a oferta que exigia vida de animais sempre era na base do derramamento de sangue.

    ResponderExcluir
  14. Ainda há o caso da antítese que propus: "um para o SENHOR e outro para o SENHOR?" Como poderia ser isto?

    ResponderExcluir
  15. Olá Evanildo,

    Pelo que li, se Azazel for tomado como nome próprio, só resta fazer com que seja um opositor ao Senhor. E isso dá reforço para a tese de que um dos bodes deveria ser entregue para o opositor do Senhor (neste caso, Azazel, o espírito maligno).

    Não te soa estranho os judeus terem que enviar um bode para o espírito do deserto, a fim de que se completasse o ritual da expiação?

    A questão se resolve se recebermos de bom grado a tradução que elimina o nome próprio e o substitui por Ez Azel (bode emissário).

    Achei excelente a sua iniciativa de buscar embasamento em outras traduções. Afinal, essa é a posição de um verdadeiro estudioso das Escrituras. E, por coincidência, instalei uma Bíblia Digital (aBiblia) que tem a tradução de Jerônimo (405 d.C). E olha como ele traduziu o verso 8:

    "mittens super utrumque sortem unam Domino et alteram capro emissario"

    Não entendo nada de latim, mas fica claro que Domino é Senhor. Em consequência disso, no lugar de Azazel, Jerônimo traduz "capro emissario". Capro = ser da raça dos caprinos = bode. Emissario é o aquele enviado para uma missão.

    Acho que a contradição desaparece diante da teoria de que a palavra Azazel surgiu da contração indevida de Ez Azel. De "bode emissário" transformou-se em um nome próprio que os judeus atribuíram características de um espírito maligno.

    ResponderExcluir
  16. Achei uma legal!

    Vou tentar dar um ar mais técnico para o que estou escrevendo.

    Como disse em postagem anterior, em Lv 16, expiar vem do hebraico "kaphar". Tem um livro chamado "Dicionário Bíblico Strong" que relaciona os significados das palavras originais.

    No dicionário, kaphar é o verbete 3722. E todas as variações dessa palavra remetem para a questão da cobertura. Chega a fazer a seguinte significação: "cobrir ou passar uma camada de betume". Assim, expiação em Lv 16 não pode significar provimento de fundos para transação. No caso da obra redentora de Cristo, a transação é chamada de resgate: Cristo paga o preço para ter nossa posse novamente.

    Já "Azazel" é referenciado no verbete 5799. E Strong diz que essa palavra é proveniente dos verbetes 5795 (Ez) e o verbete 235 (Azal).

    O Dicionário de Strong pode ser encontrado no link abaixo:

    http://files.emersonfalandonabiblia.webnode.pt/200000124-8b08d8c034/DICIONARIO-BIBLICO-STRONG-Hebraico-Aramaico-Grego-James-STRONG.pdf

    Abraços

    Diego Romualdo

    ResponderExcluir
  17. Então, amigo Romualdo...

    Viste que, mesmo no latim de Jerônimo, a figura de linguagem é antítese? E veja bem a palavra que Jerônimo utiliza: "ET ALTERUM" (OUTRO de outro tipo)... ou seja, um para o SENHOR e outro para outro tipo de sujeito.

    Acerca da tradução 'kaphar', não se esgota a explicação do sentido de expiação que coloquei há alguns posts atrás. Essa 'cobertura' feita por Azazel não é vicária, ou seja, cobrir para beneficiar alguém, mas sim punitiva, contra ele mesmo. Prova disso é a ausência do sangue!

    ResponderExcluir
  18. Afora o ponto crucial e mais importante dessa questão ( o fato de unicamente o sangue derramado fazer expiação), examinando fontes mais antigas sobre a origem do termo Azazel, teólogos judeus como os autores da Vulgata o identificam como uma entidade maligna. E desta forma a Septuaginta ( a tradução grega do tempo de Cristo, pasmem)usa em Levítico 16 o termo APOPOMPAIOS, que é um termo grego para o maligno.

    Eruditos bíblicos de outras confissões cristãs como William Smith, James Hastings, William Milligan e Samuel Zweener da igreja presbiteriana, E.W. Hengstemberg, Elmer Flack e H.C. Alleman da igreja Luterana Charles Beecher e F.N. Peloubet da igreja Congregacional, McClintock e STRONG (o próprio) da igreja metodista e muitos outros tantos de formação judaica mantêm a mesma interpretação, portanto essa visão sobre Azazel não é exclusivamente adventista, como tem-se inferido.

    Curiosamente a palavra utilizada para 'enviar (ou "enviá-lo-á" como diz a Bíblia em Lev. 16:21) é a mesma para DIVÓRCIO DA ESPOSA como utilizada em Deut. 21:14; 22:19 e Jer. 3:8. A palavra é "MIDBAR" expulsar, de conotação muito forte.

    ResponderExcluir
  19. Evanildo,

    Eu sabia das fontes citadas por você, entretanto não tinha ido atrás de nenhuma. Quando você deu destaque ao que Strong teria afirmado, resolvi ir atrás. Encontrei o tal livro no seguinte link, em inglês:

    http://ia600309.us.archive.org/17/items/cyclopaediaofbib09mccl/cyclopaediaofbib09mccl.pdf

    O que você expôs é meia verdade. Strong realmente diz que é indubitável que Azazel seja o nome de algo personificado que esteja em oposição à Jeová. E isso muito me impressionou. Entretanto, ao avaliar a fonte, constatei que ele também diz ser viável uma outra visão: a de que o bode expiatório seria uma forma de complementar a expiação realizada pelo primeiro bode. E isso estaria de acordo com a importância real do ritual. Seria o ponto de vista de quatro autores chamados Tholuck, Steudel, Winer, Bähr. Eles teriam dito o seguinte:

    "A verdadeira expiação foi efetuada pelo sangue do primeiro bode, que foi separado para Jeová; por outro lado, a cerimônia com o outro bode aparece como uma mera adição por uma razão especial, um tipo de complemento para a limpeza dos pecados que já tinham sido efetuados pelo sacrifício... Depois que a expiação foi completada pelo sangue da aspersão, o pecado ainda foi levado para o deserto. O que o primeiro bode, que morreu como oferta pelo pecado, não estava mais em condição de fazer, foi feito pelo segundo. Isso foi feito como se fosse em conjunto com o primeiro, na medida em que afastou inteiramente os pecados que haviam sido encobertos para o deserto ou lugar desolado, onde foi esquecido completamente, de modo que a ideia da expiação, ou de extermínio do pecado, tornando, assim, absolutamente perfeito.

    Strong aponta quais são as falhas desta visão, mas rechaça ainda mais a visão de que Azazel represente diretamente a Satanás. E explica que isso faria redundar em um ato de idolatria. Além disso, diz que essa visão foi comum com rabinos de tempos tardios, que assim interpretaram em razão de entender que Azazel é um opositor de Jeová. E acrescenta:

    "Essa explicação não pode ser outra coisa, senão estranha, pois, no mais sagrado ritual do Antigo Testamento, Satanás é formalmente reconhecido como ele tem sido, de acordo com esta visão."

    E das quatro visões que ele apresenta nessa obra, Strong têm predisposição para concordar com a visão que trata da complementação ritual.

    Abraços,

    Diego Romualdo

    ResponderExcluir
  20. Irmão Romualdo.

    Citei estes teólogos apenas marginalmente para inferir que a crença em Azazel como sendo Satanás não é exclusivamente adventista. Retire Strong e sobra todos os outros,inclusive todos os judeus! Além do mais, a visão de Tholuck e cia, deixa uma lacuna incompreensível (com sérias implicações a todos os defensores da teoria Azazel=Cristo: a de que a expiação pelo sangue é inconclusa, incompleta. Esta é a implicação mais séria!

    O irmão se ateve aos outros pontos que mencionei? Por exemplo, a tradução de Jerônimo, a palavra 'midbar' usada no contexto de Lev 16, os tipos diferentes de expiação (redentiva e punitiva), o uso do plural (bodeS) da parte do autor de Hebreus em conexão com o Dia da Expiação, reafirmando o uso de sangue em conexão com Jesus, a ligação entre João 1:29 e Isaías 53 na base do sangue (novamente?), etc...

    Agora, removendo todos esses argumentos, continuo sentindo enorme perigo em depreciar - seria essa a palavra correta? - a capacidade do sangue na completa expiação.

    A Paz do SENHOR!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Evanildo,

      Vamos por partes:

      Eu acredito que estamos invertendo os valores. Em que pese você achar que estamos depreciando o valor da expiação com o sangue do primeiro bode, é bom lembrar que estamos lidando com um sacrifício do A.T. Não era o sangue de Jesus, mas o do bode.

      Outrossim, não há problema nenhum em diminuir a capacidade do sangue do primeiro bode, visto que o próprio autor de Hebreus assim o fez: "é impossível que o sangue de bodes tire os pecados". Dessa forma, fica patente que o sangue do primeiro bode não concluía o serviço de expiação.

      Quanto ao termo "midbar", deve estar havendo algum equivoco de sua parte. Curioso como sou, pesquisei no Dicionário de Strong e vi que o verbete 4057 significa deserto em 4 dos seus 7 significados. Para o texto em questão (Lv 16), certamente o que se encaixa é deserto.

      O Dicionário de Strong tem uma relação íntima com um tal de Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento. E nesse tal DIDAT, o verbete 399 explica o uso dessa palavra em seus sentidos e analisa um deles como sendo "deserto", que é o que melhor se encaixa em nosso estudo.

      Quando fui ler sobre o Dia da Expiação, no Dicionário da Bíblia , de William Smith, é verdade que ele diz que os melhores estudiosos identificam Azazel com Satanás.

      Entretanto, ele diz também que "Tem diso geralmente considerado que foi enviado para significar a deportação dos pecados do povo, por assim dizer, fora da vista de Jeová. Se tivermos em vista que os dois bodes são chamados de partes de uma mesma oferta pelo pecado, não teremos mais dificuldades em ver que, juntos, eles formavam uma expressão simbólica, o bode sacrificado, estabelecendo o ato de sacrifício, em abrir mão de sua própria vida para os outros "para o Senhor", e que o bode levado sua carga de pecado "para a remoção completa", significando a influência limpeza de fé em que o sacrifício.

      Isso contraria sua posição de que a maioria tem posicionamento pró Azazel=Satanás.

      http://www.bible-history.com/smiths/A/Atonement%2C+The+day+of/

      Excluir
  21. Bem, se eu tiver tempo e a internet ajudar, gostaria de fazer uma pesquisa com as fontes exploradas e expostas por você no post anterior.

    Se ao analisar suas fontes, achei textos utilizados fora de seus respectivos contextos, certamente as encontrarei nas citações posteriores.

    ResponderExcluir
  22. Evanildo,

    Quando você citou Strong como um apoiador da ideia Azazel=Satanás, acabei me interessando em analisar as outras referências que você citou. E minhas pesquisas me levam a descontruir sua base bibliográfica. Veja comigo:

    A International Standard Bible Encyclopedia (que está entre as referências que você não citou), diz o seguinte em seu favor a respeito de Azazel:

    "Com o uso da mesma preposição 'le' em conexão com o Senhor e Azazel, parece natural a considerar as expressões como inteiramente II e de pensar de um ser pessoal. Alguns interpretam esta palavra como referindo-se a um demônio do deserto".

    Mas veja bem o que ele diz a favor do ponto de vista evangélico:

    Ambas as cabras, por assim dizer, representam dois lados da mesma coisa. É necessário deixar claro que o primeiro, que foi morto, não pode mais representar a remoção do pecado, e, portanto, tem muitas vezes sido chamado apropriadamente os redivivus hircus.

    E por fim, o que eu achei mais fantástico nessa encíclopédia. Fez-se o paralelo entre Lv 16 e Lv 14.1-8. Observe:

    Exigiam-se duas aves para o ritual de purificação do leproso. Uma das aves era morta e seu sangue era usado para aspersão. Asegunda ave era mergulhada no sangue da primeira e, em seguida, era solta para voar para longe.

    Não é maravilhosa essa comparação?

    Quanto ao presbiteriano Samuel Zwemer, é fácil perceber que o objetivo de seu livro era falar a respeito da fé muçulmana. O trecho citado na referência ele apenas diz o seguinte:

    O diabo (Sheitan ou Iblis) tem um nome próprio - Azazil. Ele foi expulso do Éden por recusar a se ​​prostrar perante Adão quando Deus o mandou. Suas hordas de demônios é numerosa e terrível. Notáveis ​​entre eles são Harut e Marut, dois espíritos malignos que ensinam feitiçaria homens em Babilônia.

    Não li o capítulo inteiro, mas Samuel Zwemer parece estar expondo o pensamento muçulmano a respeito dos demônios...

    E agora? Será que as outras fontes apresentadas por você suportam análise?

    Continuo depois e te anuncio o resultado.

    Abraços, na paz de Cristo.

    Diego Romualdo

    ResponderExcluir
  23. Fontes Exploradas

    Samuel Zwemer

    http://www.muhammadanism.org/Zwemer/islam_challenge/islam_challenge.pdf

    The International Standard Bible Encyclopedia Online

    http://www.internationalstandardbible.com/A/azazel.html

    ResponderExcluir
  24. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  25. Olá Evanildo,

    Buscando mais uma fonte citada por você, encontrei James Hasting, em Dictionary of the Bible, pg 77

    http://archive.org/stream/cu31924029271223#page/n97/mode/2up

    Observe que, mesmo reconhecendo que Azazel é um nome próprio, o autor tem problemas para solucionar o aparente comportamento antibíblico de se sacrificar a um espírito do deserto.

    Ele conclui dizendo que Azazel, como líder dos anjos caídos, é mencionado no livro apócrifo de Enoque. Lembre-se que livros apócrifos só servem como fontes históricas e nunca como fontes de doutrinas, pois não são inspirados. É por isso que não estão no Canon. Novamente, é inserção da tradição rabínica tardia.

    Agora, veja o que ele escreveu sobre Azazel:

    "O nome em hebraico do espírito do deserto para quem um dos dois bodes foi enviado, carregado com os pecados do povo, no ritual do Dia da Expiação. Etimologia, a origem, significado ainda são assuntos de conjectura. O bode expiatório é designação dada pela Versão Autorizada de King James (ou seja, o bode que é permitido a fuga, o que remonta ao bode emissarius da Vulgata) obscurece o prestígio da palavra Azazel como nome próprio, no original, e em especial o nome de um espírito poderoso ou demônio supostamente habitante o deserto ou "terra solitária." A explicação mais plausível para este elemento estranho no rito é o que se conecta com a adoração ilicita a Azazel - campo ou espíritos ou sátiros (lit. bodes) de que é feita referência em várias passagens do Antigo Testamento (Lv17.7, Is 13.21, etc). Ele pode ter sido a intenção dos autores do Levítico 16, na forma presente para atacar as raízes dessa crença popular e prática, dando Azazel, provavelmente considerado como o preço de bodes em ritual lugar reconhecido. O próprio Cristianismo pode fornecer muitas analogias a um tal processo. A crença de que o pecado, a doença, e como o pode ser removido por ser transferido para seres vivos, animais ou aves, não se limita às raças semitas, e tem a sua analogia em hebraico ritual da cerimônia da limpeza do leproso. no Livro de Enoque, Azazel aparece como o preço dos anjos caídos, os descendentes das uniões descritas em Gênesis 6".

    ResponderExcluir
  26. Evanildo,

    No processo de pesquisa de fontes apontadas por você, encontrei mais uma citação tirada do contexto.

    Torno a dizer que essa busca visa, antes de tudo, contribuir com meu próprio conhecimento. E tenho visto que muita gente escreveu coisas muito boas no passado. Neste caso, transcreverei aqui um trecho do livro "The comprehensive commentary on the Holy Bible, vol 2, pg 410-412.

    Antes devo dizer que quando William Jenks é citado como tendo apoiado a visão de que Azazel é Satanás, é dito assim "Spencer, depois das mais antigas opiniões dos Hebreus e Cristãos, pensa que Azazel é o nome do demônio, … O Siríaco tem Azzail, o 'anjo que revoltou'". Contudo, devemos ser honestos com o tratamento das fontes.

    Neste trecho acima transcrito, observei que é uma nota de rodapé onde o autor PEDE para que se veja diferentes opiniões sobre o bode emissário.

    Tá tudo aqui nesse link:

    http://archive.org/stream/comprehensivecom01jenk#page/410/mode/2up

    continua

    ResponderExcluir
  27. Isso está na página 410 do livro. Entretanto, bem perto dali, nas páginas 411 e 412, o autor escreve o seguinte NO CORPO DO TEXTO:

    "O sacerdote é o próximo a confessar os pecados de Israel, com ambas as mãos sobre a cabeça do bode expiatório: v 20 e 21. que sempre foi feito com confissões, de acordo com a natureza do sacrifício, e sendo esta uma oferta pelo pecado, que deve ser uma confissão de pecado. Mais tarde, em epocas mais degeneradas, a igreja judaica tinha preparado uma confissão conjunta de pecados, mas Deus não tinha prescrito nada dessa forma, pois o sumo-sacerdote poderia ser tão bem familiarizado com o estado das pessoas, e teve essa suave preocupação por eles, que não precisava de nenhuma formalidade. A confissão devia ser específica como ele poderia fazê-lo, não só de todos os seus pecados, em um pecado que pode haver muitas transgressões, a partir de suas diversas circunstâncias agravantes: e em nossas confissões devemos observá-los, não só dizer, eu pequei, mas, como Acã: 'assim e assim que eu fiz '. Por esta confissão, ele deve colocar os pecados de Israel sobre a cabeça do bode, ou seja, agir a fé sobre a nomeação divina que constituiu essa transferência, ele deve transferir a punição incorrida aos pecadores que sacrificavam [...]

    O bode foi, então, mandado embora, a um deserto (ou seja, uma terra desabitada); que Deus lhes permitiu interpretar como o envio para longe de seus pecados por remissão gratuita e plena, v22. A perda do bode era um sinal para eles, que os pecados de Israel poderiam ser procurados, mas não seriam encontrados.

    O sumo sacerdote deve, então, deixar as roupas de linho no tabernáculo, os judeus dizem, para nunca mais ser usado (eram feitas novas roupas a cada ano), e deveria se banhar, colocou suas roupas ricas, e, então, oferecer tanto o seu próprio e holocausto do povo, versículo 23, 24. Quando temos o conforto de perdão, Deus deve ter a glória. Tendo o benefício do sacrifício de expiação, não devemos ter má vontade para sacrificar em reconhecimento [...]

    A carne de ambos os sacrifícios era para ser totalmente queimada, não sobre o altar, mas a uma distância fora do acampamento, para significar a substituição do pecado pelo verdadeiro arrependimento e Deus colocará isso por uma remissão completa, de modo que nunca se levantará em juízo contra nós."


    Assim, sejamos honestos com as fontes. A qualquer momento, trarei notícias sobre as outras fontes.

    Abraços,

    Diego Romualdo

    ResponderExcluir
  28. Gostaria de declarar de todo o meu coração, o amor e respeito que temos por todos os que ainda não entendem que o Bode Emissário é o Senhor Jesus. Estamos pedindo ao Nosso Amado Pai Celestial, que ilumine suas mentes e corações e os conduza a compreender os textos Sagrados sob a égide do Espirito Santo. A seguir transcreveremos parte de um estudo que, creio nos ajudará muitíssimo a entender de uma vez por todas a questão do Bode Emissário.
    1. Nenhum texto da Bíblia diz que o diabo é simbolizado pelo bode, e nem que ele levará o pecado. Quem afasta para sempre o pecado do povo é Deus, por meio de Cristo e não de uma criatura satânica.É Jesus quem levou os nossos pecados e não o diabo. E foi Cristo quem sofreu por nossos pecados. Medite: Sl 103.12;Is 43.25; 1 Jo 3.5( "...alusão ao bode emissário - leva embora ( ARA, tira " ); 1Pe2.24 2 Co 5.21; 1Pe.2.21;Is53. 4,12;Mt8.17.
    2.Hb 9.22 é apenas um princípio geral,pois Lv. 5.11 fala de uma oferta pelo pecado de flor de farinha, para perdão do pecado v.13, que excluia o derramamento de sangue. O ritual de purificação do leproso também usava de um animal vivo ( Lv. 14.1-7).
    3. O Bode vivo que levava o pecado, representa o ato de Jesus de destruir, levar embora o pecado, afastar para longe o pecado da humanidade. Assim o bode vivo não representa o Salvador morto, mas o carregar dos pecados para longe do povo.Deus não apenas perdoava, purificava, removia, da vista e lembrança e para longe a contaminação trazida pelo pecado ( Sl.103.12 ; Mq 7.19). No dia da expiação 2 bodes. 1 parte de Deus, sacrificado e o sangue levado para dentro do véu, exigências de Deus;2 o Emissário levava embora a iniquidade de Israel à terra desabitada, a necessidade humana.Observemos os vários aspectos da OBRA DE CRISTO na redenção são simbolizados pelo que os dois animais desempenham no Dia da expiação, cada um com seu papel...1. Morte subistituta 2.o Sumo Sacerdote confessava os pecados e enviava-o para o deserto, representando o efeito de mandar embora,para sempre, os pecados de Israel, e simbolizava a Obra de Cristo, que era levar para sempre os nossos pecados.

    ResponderExcluir
  29. Não querendo ser enfadonho aos leitores peço vossa atenção para um Texto Sagrado, que nos ajudará a glorificarmos Nosso Único e Todo Suficiente Salvador Jesus. Rm.5.19 " Porque, como, pela desobediência de um só homem, muitos se tornaram pecadores, assim também, por meio da obediência de um só, muitos se tornarão justos ." Amados do Senhor , não nos esqueçamos do fato de Jesus ser ao mesmo tempo simbolizado pelo sumo-sacerdote, bode morto, bode vivo,pombinha viva, pombinha morta, cordeiro, novilho, cabra, carneiro, etc.. Observemos que o bode deveria ser sem defeito, como todo animal do ritual cerimonial, símboloda não contaminação do pecado. Assim o diabo não pode ser simbolizado por um animal inocente, pois neste caso o TIPO seria SUPERIOR ao ANTÍTIPO,o que é uma violação das regras de tipologia. " EM TIPOLOGIA, O ANTÍTIPO É MAIOR QUE O TIPO E A ELE SUPERIOR, OCORRE UMA EXPANSÃO, UMA ELEVAÇÃO, UMA INTENSIFICAÇÃO.
    4. O termo "... para o Senhor..." Lv. 16.8-10. Significa " cair a sorte para ser oferecido ao Senhor em sacrifício " e " ... para o bode emissário. " Significa " cair a sorte para ser bode emissário." O artigo definido "o" não consta no original. Assim não tem nada a ver com dois seres " ANTAGÔNICOS" e sim dois bodes utilizados para PROPÓSITOS DIFERENTES, oferta sacrificial pelo pecado e afastamento do pecado. " a imagem dupla que Cristo foi feito " pecado por nós" ( 1 Co. 5,21), e de que Ele carregou nossos pecados, ( 1 Pe. 2.24 ), se harmoniza com o papel dos dois bodes no dia da expiação. Aquele que foi sacrificado como oferta pelo pecado e aquele que levava embora os pecados confessados do povo." ( Comentário Bíblico Vida Nova,p. 226).
    Em parte alguma da TORÁ se faz inclusão ao culto ou adoração de demônios. Em Lv. 17.7. Deus proíbe sacrifícios envolvendo demônios. Podemos concluir que é impossível , no próprio, sacrifício para Ele, ser solicitado algo relacionado ao Satanás.
    Infelizmente a tradução a partir de 800 d.c. [ Texto Massorético ] ... A tradição segundo o qual o bode emissário era o nome de um demônio do deserto originou-se muito tempo depois, estaria totalmente em desacordo com os princípios da redenção ensinados na TORÁ. Como a maioria dos pesquisadores concluíram o termo AZAZEL tem significado incerto, trata-se de um erro de fusão. O correto é: EZ AZEL e não " azazel", visto que o texto que tem o termo azazel é o massorítico no qual foi inserido as vogais na idade média. Todas as versões antigas, como a Septuaginta ( datada antes de Cristo ) entendem o texto como traduzido de EZ AZEL e não de um nome próprio azazel...
    Ao separarmos as duas palavras, como é o correto, passamos a ter um texto que faz sentido perfeito no contexto, sem fazer concessão a demônios, cujo exemplo não existe nas Escrituras. Nossa oração será perseverante para que o Pai das Luzes, continue a nos iluminar , afim de que a Doutrina dos Apóstolos continue a ser uma realidade na vida de cada discípulo do Senhor. A Ele a Glória Eternamente, Amém

    ResponderExcluir

Regras:

"Nenhuma palavra torpe saia da boca de vocês, mas apenas a que for útil para edificar os outros, conforme a necessidade, para que conceda graça aos que a ouvem. Não entristeçam o Espírito Santo de Deus, com o qual vocês foram selados para o dia da redenção. Livrem-se de toda amargura, indignação e ira, gritaria e calúnia, bem como de toda maldade. Sejam bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-se mutuamente, assim como Deus perdoou vocês em Cristo." (Efésios 4:29-32)

1. Todos os usuários deverão se identificar de alguma forma (nome, apelido ou pseudônimo).

2. Comentários somente com letras maiúsculas serão recusados.

3. Comentários ofensivos serão deletados.

"Sigamos, pois, as coisas que servem para a paz e para a edificação de uns para com os outros." Romanos 14:19

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Mais Acessadas

Você já encontrou Descanso em Cristo?

Jesus Cristo, o Sábado da Nova Aliança

Você Sabia que a palavra sabbatismos é encontrado apenas uma vez na Bíblia?

"Assim, ainda resta um descanso sabático (sabbatismos) pois todo aquele que entra no descanso de Deus, também descansa das suas obras, como Deus descansou das suas. Portanto, esforcemo-nos por entrar nesse descanso, para que ninguém venha a cair, seguindo aquele exemplo de desobediência." Hebreus 4:9-11 (NIV).

O autor de Hebreus usa o sétimo dia, o Sábado, como uma sombra de uma realidade futura e atual (Hoje), quanto aceitamos o convite de Cristo:

"Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis DESCAN­SO (ou sábado) para as vossas almas." (Mateus 11 : 28,29)

A palavra "descanso" em hebraico é "SHABATH", e em Grego é "ANAPAUSSIN", que também significa "REFRIGÉRIO". Não é glorioso?

Jesus completou ou trouxe vida ao 4º mandamento, quando apresentou o verdadeiro sábado do cristão. Ele mostrou que o verdadeiro descanso es­tava Nele mesmo.

Nossa Missão: Proclamar as Boas Novas do Evangelho da Nova Aliança da Graça em Cristo Jesus e Defender a Fé combatendo os erros do Legalismo e da Falsa Religião.

Nosso Lema: A Verdade não precisa de outro fundamento que não a investigação honesta, sob a orientação do Espírito Santo e a vontade de seguir a Verdade quando for descoberta. "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará." João 8:32

Nossa Mensagem: "Porque pela graça sois salvos, mediante a fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus, não como resultado de obras, para que ninguém se glorie". Efésios 2:8-9

Nosso Método: Em amor escrever, orar e divulgar matérias escritas por teólogos e pastores ex-adventistas que fornecem informações precisas sobre a doutrina e prática da Igreja Adventista do Sétimo dia.

Nosso Mandato: Cerca de 300.000 membros deixam a Igreja Adventista do Sétimo Dia a cada ano. Muitas dessas pessoas queridas passam por um momento muito difícil de transição para outras igrejas cristãs. Eles foram ensinados que uma vez que aceitam os testemunhos de Ellen White e o Sábado do sétimo dia e depois, se abandona-los, eles perderiam a sua salvação. Observe as seguintes citações de Ellen White que os adventistas ainda consideram ser uma "fonte" autorizada da verdade, inspirada no mesmo nível que os profetas do Antigo Testamento como Isaías e Jeremias:

"It is Satan's plan to weaken the faith of God’s people in the Testimonies [writings of Ellen White] . Next follows skepticism in regard to the vital points of our faith, the pillars of our position, then doubt as to the Holy Scriptures, and then the downward march to perdition. When the Testimonies, which were once believed, are doubted and given up, Satan knows the deceived ones will not stop at this; and he redoubles his efforts till he launches them into open rebellion, which becomes incurable and ends in destruction.” Ellen G. White, Testimonies to the Church, Vol. 4, p. 211.

“If you lose confidence in the Testimonies you will drift away from Bible truth.” Ellen G. White, Testimonies to the Church, Vol. 5, p. 98.

"Then I was shown a company who were howling in agony. On their garments was written in large characters, 'Thou art weighed in the balance, and found wanting.' I asked who this company were. The angel said, 'these are they who have once kept the Sabbath and have given it up.'" Ellen G. White, Early Writings, p. 37

"God will never, never allow any man to pass through the pearly gates of the city of God who does not bear the signet of the faithful, His government mark." [in context the signet mark is the Sabbath] Ellen G. White, Medical Ministry, p. 123.

"God will frown upon those who disregard his commandments and he cannot bless the church that retains Sabbath-breakers in its fellowship." Ellen G. White, Signs of the Times, 1890-06-02.

Pode-se ver o trauma, interno intenso que os adventistas têm de enfrentar quando tentam deixar esses ensinamentos sectários de Ellen White.

Nosso Ministério: Temos ajudado milhares de pessoas na transição para fora do Adventismo, a encontrarem a certeza da salvação na justiça de Cristo somente, a tornarem-se fundamentados na Palavra de Deus e encontrar comunhão em igrejas cristãs saudáveis​​.